Tartaruga adotada espera por carona para chegar a sua nova casa

CUSICK, Washington - A tartaruga do deserto Sadie precisa de uma carona para chegar a sua nova casa no deserto Mojave.

AP |

Acordo Ortográfico

O animal de 25 centímetros, encontrado num posto de gasolina da estrada U.S. 95, vive na Reserva Selvagem Kiwani Wambli  desde julho, mas precisa mudar dali antes que o clima esfrie, afirmou a responsável pelo local Dotty Cooper.

"O clima vai ficar frio demais para ela", disse a mulher.

Tartarugas do deserto não estão acostumadas a temperaturas abaixo de 5 graus, muito menos às temperaturas congelantes do local. Para sobreviver ao inverno em Cusick, Sadie teria que ser mantida em locais fechados por meses.

Sadie não pode ser solta novamente pois pode ter contraído alguma doença que irá transmitir aos outros da sua espécie.

"Depois que foram tocadas por humanos as tartarugas passam a ser animais domésticos. Elas já não se qualificam como animais selvagens", disse Ginger Wilfong, do Centro de Resgate de Tartarugas de Bay Area em Castro Valley, Califórnia, que está ajudando Sadie a encontrar um lar.

Wayne e Lee Ann Cusick viram a história de Sadie num jornal e se ofereceram para adotar a tartaruga, mas não querem dirigir até o local. O casal espera que algum viajante caridoso ofereça uma carona a Sadie.

"Eu não acho que isso vá acontecer", ele disse, "mas espero que com toda a atenção conquistada por ela isso seja possível".

Tartarugas adotivas são um ótimo animal de estimação, afirmou Cusick.
Sadie teria um companheiro: Speedy, uma tartaruga mais jovem que tem a metade de seu tamanho.

Tartarugas do deserto amadurecem entre os 14 e 20 e vivem entre 60 e 100 anos. A espécie foi considerada ameaçada pelo Serviço de Vida Selvagem dos Estados Unidos em 1990 e diversos Estados oferecem proteção adicional ao animal.

Leia mais sobre animais


    Leia tudo sobre: animais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG