Tanques israelenses chegam à principal cidade do sul de Gaza

Gaza, 6 jan (EFE).- Vários tanques israelenses chegaram hoje à principal cidade do sul da Faixa de Gaza, Khan Yunes, em um dia no qual 23 palestinos morreram em diferentes bombardeios israelenses no território palestino, informaram testemunhas e fontes médicas.

EFE |

Os tanques não entraram nas áreas povoadas de Khan Yunes, mas rodaram por fazendas ou espaços abertos, disseram as testemunhas.

O Exército israelense invadiu a Faixa de Gaza no sábado passado a partir do norte e do leste. Nesta segunda-feira, dividiu a faixa em três partes incomunicáveis para isolar a capital, Cidade de Gaza, e impedir que os milicianos enviassem reforços.

A Força Aérea israelense lançou desde esta madrugada vários projéteis contra imóveis na capital de membros do Hamas ou a partir dos quais milicianos palestinos disparam foguetes contra o sul do Estado judeu, segundo residentes.

Um dos bombardeios israelenses matou na segunda-feira à noite três jovens da mesma família ao atingir uma escola da ONU na Cidade de Gaza que atendia palestinos deslocados pela invasão israelense, informaram hoje à Agência Efe fontes das Nações Unidas.

Quando aconteceu o ataque, a escola primária Asma acolhia mais de 400 palestinos que tinham fugido da localidade de Beit Lahia, no norte da Faixa de Gaza, após a entrada das tropas e tanques israelenses.

Outros 20 palestinos morreram em bombardeios lançados a partir de ontem à noite contra o bairro de Zeitoun e os campos de refugiados de Deir al-Balah e Al-Bureij, na metade norte de Gaza.

A Aviação israelense também atacou a sede no centro da Faixa de Gaza das Brigadas Al Quds, braço armado da Jihad Islâmica, e voltou a abrir fogo contra o mercado Al-Yarmouk da capital.

Esta milícia reconheceu que perdeu dois combatentes devido ao fogo israelense.

O número de palestinos que morreram desde o início da invasão no sábado passado está em cerca de 150, segundo fontes médicas palestinas.

Desde o início da ofensiva israelense à Faixa de Gaza, em 27 de dezembro, 573 palestinos morreram e 2,6 mil ficaram feridos.

Na parte israelense, seis soldados e três civis morreram desde que começou a operação Chumbo Fundido, que busca dar "um duro golpe" no Hamas, segundo o Exército. EFE sar-ap/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG