Talibãs pedem anistia para alcançar paz no vale do Swat

Islamabad, 20 fev (EFE).- O líder da insurgência talibã no vale do Swat (norte do Paquistão), o maulana Fazlulá, exigiu uma anistia para que concorde em abaixar as armas durante as negociações que manteve hoje com um mediador enviado pelo Governo provincial.

EFE |

Fazlulá voltou a se reunir hoje em um lugar não determinado do distrito de Matta, em Swat, com seu sogro, o clérigo fundamentalista Sufi Mohammed e líder do Tehreek-e-Nafaz-e-Shariat-e-Mohammadi (TNSM, Movimento para o Reforço da Lei Islâmica).

Sufi Mohammed assinou na última segunda um acordo com o Governo da Província da Fronteira do Noroeste (NWFP) que prevê a implantação de cortes da sharia (lei islâmica) na localidade caso a insurgência abandone a luta armada.

Segundo o porta-voz do TNSM, Izzat Khan, citado pela emissora "Geo TV", as negociações de hoje representam um avanço e Fazlulá pediu a seu sogro que dirija as novas negociações em seu nome com o Governo provincial.

No encontro, afirmou, Fazlulá pediu que o Executivo declare uma anistia aos talibãs, que começaram sua luta contra o regime de Pervez Musharraf em 2007, após o ataque armado à Mesquita Vermelha de Islamabad.

Desde então, a situação de segurança no vale do Swat se deteriorou muito, o que levou o Exército a lançar uma ofensiva no final de julho passado que causou a morte de 500 insurgentes e 1.200 civis, indicam dados oficiais. EFE igb/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG