Talibãs negam ligação com assassinato de jornalista no Afeganistão

Cabul, 11 mar (EFE).- Os talibãs negaram hoje serem responsáveis pelo assassinato do jornalista afegão Jawed Ahmad, que trabalhava para a rede de TV canadense CTV News e foi morto a tiros ontem em Kandahar, no sul do Afeganistão.

EFE |

Um porta-voz dos talibãs ouvido nesta quarta-feira pela Agência Efe descartou a hipótese de um deles ter matado Ahmad, de 22 anos.

Segundo declarações de um representante da organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) à agência afegã "AIP", Ahmad foi baleado quando saía de seu carro, no centro de Kandahar, e morreu na hora.

Em nota, a RSF exigiu do Governo afegão que não deixe os assassinos impunes.

Ahmad chegou a passar 11 meses na prisão que as tropas americanas mantêm em sua base de Bagram, ao norte de Cabul, onde disse que foi torturado.

De acordo com declarações do jornalista feitas à epoca de sua libertação, em setembro de 2008, Ahmad foi preso por seus contatos com os talibãs, que o próprio considerou imprescindíveis para seu trabalho em Kandahar.

A RSF revelou que o jornalista pretendia escrever um livro sobre sua experiência na prisão de Bagram. EFE nh/jp/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG