Talibãs ligados à Al-Qaeda assumem matança nos EUA

Um homem identificado como o chefe dos talibãs paquistaneses ligados à Al-Qaeda, Baïtullah Mehsud, assumiu neste sábado em contato com jornalistas o ataque cometido sexta-feira por um atirador de origem vietnamita num centro de ajuda a imigrantes da cidade de Binghamtom.

AFP |

"O que aconteceu ontem na América foi feito por um de nossos homens", declarou o interlocutor em uma conversa telefônica com jornalistas do noroeste do Paquistão. Um correspondente da AFP conseguiu escutar em seguida uma gravação e disse que reconheceu a voz de Mehsud.

Mas os investigadores americanos parecem defender a tese de um atirador louco, falando de um assaltante de origem vietnamita que se suicidou depois de ter matado 13 pessoas, em Binghamton.

Representantes das forças de segurança paquistanesas disseram que a reivindicação de Mehsud não é confiável. Eles destacaram que o interlocutor não deu nenhum detalhe sobre as circunstâncias do ataque nem sobre a identidade do camicase, como é de costume nestes casos.

"Acreditamos que (Mehsud) não tem capacidade de atacar nos EUA", disse um deles, sob condição de anonimato.

"Dois de meus homens, entre os quais um era paquistanês e outro estrangeiro, realizaram esta operação", afirmou Mehsud, garantindo que um está morto e que o segundo fugiu.

"Digam aos EUA que iremos, muito em breve, cometer um ataque suicida em massa contra a Casa Branca e Washington", continuou Mehsud na ligação telefônica.

Mehsud havia prometido recentemente vingar os tiros de mísseis americanos contra combatentes da Al-Qaeda nos últimos meses nas zonas tribais do noroeste do Paquistão.

O atirador invadiu no meio da manhã a sede da associação American Civic Association, uma organização de ajuda à integração de estrangeiros em Binghamton, cidade de cerca de 50.000 habitantes situada 217 km a noroeste de Nova York.

As TVs exibiram imagens de pessoas sendo levadas em macas para ambulâncias estacionadas em torno do prédio. Segundo o site de um jornal local, o Press and Sun-Bulletin, 41 pessoas foram mantidas reféns, das quais 26 na sala de manutenção e 15 em uma despensa.

De acordo com Bob Joseph, diretor da rádio WNBF, entrevistado pela CNN, o atirador parece ter premeditado a ação: ele estacionou seu veículo de forma a bloquear uma saída situada na parte de trás do prédio, deixando as pessoas que se encontravam em seu interior sem ter como fugir.

O presidente americano, Barack Obama, que participa da reunião da Otan na Europa, lamentou o ataque: "Eu e Michelle ficamos chocados e profundamente entristecidos por este ato de violência gratuita em Binghamton. Nossos pensamentos vão para as vítimas, suas famílias e a população" local.

O governador de Nova York, David Paterson, falou em "uma situação espantosa".

Esta foi a maior matança nos Estados Unidos desde o ataque à Virigina Tech (Virgínia, leste), no dia 16 de abril de 2007, quando um estudante de origem coreana matou 32 pessoas antes de cometer suicídio, e superou o massacre de 10 de março passado, quando um criminoso assassinou dez pessoas, entre elas sua própria mãe, em três cidades do Alabama, antes de se suicidar.

shk-jaf/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG