Talibãs libertaram quase 900 rebeldes de prisão no Afeganistão

CABUL - As tropas internacionais e afegãs procuram neste sábado quase 900 prisioneiros que foram libertados sexta-feira à noite por um grupo de insurgentes talibãs, em uma invasão a uma prisão no sul do Afeganistão.

EFE |

Cerca de 80 insurgentes talibãs utilizaram um caminhão-bomba para destruir a porta da prisão, explicou à Agência Efe o vice-ministro da Justiça, Mohammad Qasim Hashimzai.

Durante a invasão teve início um tiroteio que matou nove policiais, sete prisioneiros e um civil, segundo o chefe do conselho provincial de Kandahar, Ahmad Wali Karzai, irmão do presidente afegão, Hamid Karzai.

"Tudo aconteceu em 15 ou 20 minutos. Foi um ataque planejado", disse Karzai.

Uma fonte policial disse que 890 prisioneiros escaparam - entre eles 350 insurgentes.

As tropas internacionais e afegãs já lançaram uma operação na área para prender os fugitivos, ao mesmo tempo em que as autoridades da localidade anunciaram estado de exceção em Kandahar.

No sul do país, onde predomina a etnia pashtun, os combates entre as forças internacionais e afegãs e a insurgência talibã são constantes.

O auge da violência fez com que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) criasse a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), que contava, no Afeganistão, com mais de 17 mil soldados no último ano.

Dos quase 53 mil militares da Isaf, quase metade é formada por americanos. Além disso, Washington tem sob comando direto outros 12 mil soldados desdobrados no país.

O novo chefe militar da Otan no Afeganistão, David McKiernan, lamentou a falta de recursos com o fim das forças internacionais e o conflito afegão ao tomar o comando no último dia 3. 

Leia mais sobre: Afeganistão 

    Leia tudo sobre: afeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG