Talibãs dizem que embaixada dos EUA era alvo de ataque em Cabul

Cabul, 15 ago (EFE).- Os talibãs reivindicaram o atentado suicida de hoje em frente ao quartel-general da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) em Cabul, que segundo o Ministério do Interior matou três pessoas e feriu outras 85, e disseram que a embaixada dos Estados Unidos estava entre os alvos.

EFE |

"Foi executado com uma caminhonete carregada com 500 quilos de explosivos", disse à Agência Efe por telefone Zabiullah Mujahid, um porta-voz dos insurgentes, sobre o ataque em frente à sede da Isaf, força comandada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Mujahid assegurou que o objetivo do suicida era atacar a Embaixada dos EUA no Afeganistão e o quartel-general da Isaf, ambas as instalações no bairro de Wazir Akbar Khan e submetidas a ferrenhas medidas de segurança.

A explosão, ensurdecedora, aconteceu às 8h30 (1h, Brasília) e deixou uma densa nuvem de fumaça, visível de vários pontos de Cabul.

As TVs locais exibiram imagens das equipes de bombeiros e dos serviços de resgate se esforçando para apagar o incêndio causado pela explosão, em meio a blocos de cimento e barreiras de segurança que protegem parte do bairro.

Segundo o Governo, ainda pode aumentar o número de vítimas devido ao estado dos feridos, a maioria deles trabalhadores que esperavam, como todos os dias, para entrar no quartel-general da Isaf.

No último dia 4 de agosto, oito projéteis foram lançados por supostos talibãs em Cabul e alguns deles atingiram o mesmo bairro que foi atacado hoje.

O Afeganistão realizará no próximo dia 20 eleições presidenciais, mas os insurgentes talibãs pediram aos eleitores um boicote ao pleito.

Cabul é vigiada por uma forte presença de tropas afegãs e da Polícia local, que cuidam da segurança dos prédios governamentais e controlam o acesso às vias que levam a embaixadas estrangeiras. EFE nh/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG