Talibãs descartam que ofertas de reconciliação enfraqueçam movimento

Cabul, 16 jan (EFE).- Os talibãs afegãos descartaram hoje, por meio de um porta-voz, que as ofertas de reconciliação do presidente do país, Hamid Karzai, consigam debilitar o movimento.

EFE |

Em declarações à agência afegã "AIP", o porta-voz Qari Muhammad Yousuf Ahmadi afirmou que essas ofertas serão um "fracasso completo".

O assunto esteve hoje na agenda das conversas entre Karzai e o enviado especial dos Estados Unidos para Afeganistão e Paquistão, Richard Holbrooke.

Segundo um representante da Presidência afegã consultado pela Agência Efe, Karzai e Holbrooke também falaram sobre a conferência sobre o Afeganistão que será realizada em Londres no próximo dia 28.

O atual Governo dos EUA começou a apoiar os esforços de Karzai de reconciliação com os talibãs, aos quais oferece meios alternativos de vida caso deixem a luta armada.

Com isso, espera enfraquecer um movimento de resistência que já tem presença de 80% do território afegão, para onde os EUA enviarão mais 30 mil soldados este ano, o que elevará a força internacional para 137 mil homens.

Segundo Ahmadi, "melhor do que gastar o dinheiro nestes planos trôpegos, as forças invasoras deveriam prestar atenção e ver que o povo está lutando contra elas".

O porta-voz talibã também rejeitou a conferência de Londres, na qual se esperam novos compromissos de ajuda para o Afeganistão em 2010, e disse que é "perda de tempo e dinheiro".

"Quando um país e suas massas não são livres nem independentes, não há conferência que possa resolver seus males", acrescentou. EFE lo-ja/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG