Taliban planejou usar norte-americanos em ataques no Paquistão

Por Kamran Haider ISLAMABAD (Reuters) - Insurgentes do Taliban planejaram usar cinco norte-americanos detidos no Paquistão, que haviam contatado o grupo pela Internet, para realizar ataques dentro do país aliado do EUA, disse uma autoridade da polícia neste sábado.

Reuters |

Usman Anwar, chefe de polícia em Sargodha, onde os homens foram presos este mês, disse que emails revelaram os planos para os jovens do Estado norte-americano da Virginia viajarem até uma usina nuclear paquistanesa.

"Acreditamos que eles seriam usados dentro do Paquistão", disse Anwar à Reuters por telefone.

"Em seu último email ao Taliban eles mencionaram a usina de Chashma, e por isso estavam indo para o distrito de Mianwali."

Anwar se recusou a dar detalhes do caso porque a polícia ainda está interrogando os suspeitos.

Washington pressiona o Paquistão a eliminar os militantes nas áreas tribais que cruzam a fronteira para atacar forças ocidentais no Afeganistão.

Mas o assunto é politicamente delicado. Ataques com aviões não-tripulados dos EUA contra supostos militantes no Paquistão enfureceram muitos paquistaneses.

A possibilidade de militantes tentarem atacar armas nucleares do Paquistão alarma as potências ocidentais, embora analistas digam ser altamente improvável.

Militantes reagiram com bombardeios que mataram centenas de pessoas em resposta a uma grande ofensiva de segurança em um de seus refúgios em outubro.

Os cinco norte-americanos foram presos em Sargodha, sede de uma das maiores bases aéreas do Paquistão, 190 km a sudeste da capital Islamabad.

Alguns analistas dizem que o caso dos norte-americanos reflete uma nova estratégia dos militantes para tentar evitar medidas de segurança mais severas formando redes pela Internet. Os homens, dois de origem paquistanesa, um de origem egípcia, um de origem iemenita e um de origem eritréia, podem enfrentar acusações de terrorismo.

Eles foram encontrados com mapas e pretendiam viajar pelo noroeste do Paquistão até uma fortaleza da Al Qaeda e do Taliban, disseram autoridades.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG