Taliban faz nova emboscada contra guardas dos EUA; 23 mortos

CABUL (Reuters) - Ao menos 23 pessoas foram mortas quando insurgentes do Taliban pegaram em emboscada o comboio de uma empresa norte-americana de segurança no sudoeste do Afeganistão, nesta sexta-feira, disseram autoridades. Esse é o segundo ataque sofrido pela mesma empresa nos últimos dois dias.

Reuters |

O chefe de polícia da Província de Farah (local da emboscada), Khalilullah Rahmani, disse que 15 dos mortos eram militantes do Taliban atingidos no combate que se seguiu ao ataque.

Segundo Rahmani, a U.S. Protection and Investigations, uma empresa envolvida na escolta de suprimentos distribuídos às forças da coalizão, também sofreu baixas. O chefe de polícia, no entanto, não divulgou maiores detalhes.

'Os militantes do Taliban atacaram o comboio com armamento pesado. Quatro veículos pegaram fogo', afirmou uma autoridade da mesma Província que não quis ter sua identidade revelada.

Essa autoridade disse que quatro guardas afegãos e quatro civis foram mortos na emboscada ocorrida quando o comboio passava pelo distrito de Bakwa.

Um outro comboio da mesma empresa de segurança foi atacado na quinta-feira, na cidade de Kandahar. Duas pessoas morreram nessa ação.

Em outros pontos do país, militares dos EUA disseram que forças da coalizão mataram mais de dez militantes e detiveram dois durante operações realizadas no leste do Afeganistão e que tinham por alvo, entre outros, a rede de Jalaluddin Haqqani, um veterano comandante do Taliban.

Nesta semana, as forças norte-americanas concentraram-se na rede de Haqqani, disparando mísseis de aviões-robô em uma casa e em uma escola religiosa fundada pelo comandante em uma região tribal do Paquistão localizada perto da fronteira. Nos ataques foram mortas 23 pessoas, em sua maioria parentes dele.

Na quinta-feira, dois membros da equipe de Haqqani foram presos na Província de Khost, entre os quais um acusado de coordenar ataques de beira de estrada contra membros da coalizão e das forças afegãs, disseram os militares dos EUA em um comunicado.

Haqqani, que recebeu apoio dos norte-americanos durante a guerra contra a invasão soviética do Afeganistão, é considerado uma figura próxima de Osama bin Laden, líder da rede Al Qaeda.

Os militares dos EUA atacaram também um comandante do Taliban na Província de Kapisa, a nordeste de Cabul, e dez militantes foram mortos nos combates, disseram as Forças Armadas norte-americanas.

'As forças de coalizão viram-se alvo de disparos de armas de pequeno calibre vindos de vários grupos de militantes armados. As forças responderam aos disparos, matando os militantes,' disse o comunicado.

A onda de violência no Afeganistão atravessa seu momento de maior intensidade desde a deposição do Taliban, em 2001. Mais de 2.700 pessoas, entre as quais 1.100 civis, foram mortas neste ano, até agora, dizem agências de ajuda humanitária.

(Reportagem de Hamid Shalizi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG