Taliban ataca capital do Afeganistão com atentados suicidas

Por Hamid Shalizi e Akram Walizada CABUL (Reuters) - Pelo menos nove pessoas morreram depois que rebeldes do Taliban atacaram edifícios do governo em Cabul na quarta-feira, disseram autoridades e testemunhas, em uma das mais audaciosas ações na capital do país desde 2001.

Reuters |

Os insurgentes invadiram o Ministério da Justiça, matando dois funcionários, enquanto dois homens-bomba atacavam outro prédio do governo no norte da cidade, segundo a polícia e testemunhas.

Os incidentes ocorrem durante um período de piora na segurança do país e um dia antes da visita de Richard Holbrooke, o novo enviado especial dos EUA ao Afeganistão e ao Paquistão.

Um canal de TV privado citou um porta-voz do Taliban dizendo que sete de seus militantes estavam tentando atacar o Ministério da Justiça e um prédio do departamento que administra prisões como uma vingança ao tratamento dado aos insurgentes presos.

Quatro dos supostos homens-bomba foram mortos a tiros por guardas dentro do Ministério da Justiça, e outro morreu baleado pela polícia do lado de fora do Ministério da Educação, perto dali, segundo uma autoridade.

Três guardas também morreram baleados pelos insurgentes no Ministério da Justiça, que fica próximo ao palácio presidencial em uma parte fortemente policiada de Cabul e que também abriga embaixadas estrangeiras e vários prédios do governo.

Os homens que planejavam explodir-se ainda estavam no porão, e outro estava no andar mais alto do prédio do Ministério da Justiça, segundo informou um policial à Reuters.

Outra autoridade disse à Reuters que as forças de segurança já mataram quatro insurgentes que tentavam se explodir.

"Durante as operações, foram mortos quatro terroristas dentro do Ministério da Justiça. Nossas operações continuam", disse Zemarai Bahasary, porta-voz do ministério do Interior, acrescentando que não tinha mais detalhes sobre as mortes.

"As forças de segurança nos resgataram. Eu vi os corpos de dois (homens que planejavam ser) homens-bomba, talvez haja mais alguns presos. As autoridades estão sendo mantidas do lado de dentro", disse uma fonte do Ministério da Justiça, que não quis ter seu nome citado, do lado de fora do ministério.

Os tiroteios constantes podiam ser ouvidos do lado de fora do ministério. A polícia escalou o prédio com escadas, a fim de tentar entrar no local pelas janelas dos andares mais altos, segundo uma testemunha disse à Reuters.

Um funcionário do Ministério da Justiça, Sazul Rahman, disse ter visto três homens-bomba entrando no prédio, perto do palácio presidencial. Um dele matou um guarda a tiros, enquanto os outros atiraram contra os funcionários, ao adentrar o prédio.

A área em volta do palácio presidencial está sendo fortemente protegida. É lá que ficam as embaixadas estrangeiras e prédios do governo. Os moradores disseram ter visto vários estabelecimentos comerciais fecharem suas portas.

Centenas de pessoas foram vistas fugindo, em pânico, e sirenes foram ouvidas em Cabul.

No subúrbio de Khair Khana, no norte de Cabul, dois homens-bomba se explodiram dentro de uma prisão do governo. Outro não conseguiu explodir-se e fugiu, informou um policial presente na cena.

Outra autoridade disse que as explosões causaram várias mortes, mas não tinha um número exato de mortos e feridos.

Um porta-voz do Taliban assumiu a responsabilidade dos ataques.

Em um evento separado, quatro soldados afegãos foram mortos na quarta-feira, quando uma bomba colocada em uma estrada atingiu o veículo em que estavam, durante operação na província de Logar, ao sul de Cabul, disse o porta-voz provincial, Deen Mohammad Darwesh, a repórteres.

O Taliban, que foi deposto após uma invasão liderada pelos Estados Unidos em 2001, está tentando retornar ao poder nos últimos anos, e empreendeu uma série de ataques de grande escala em Cabul no ano passado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG