Taliban alerta contra celulares reluzentes e fotos de mulheres

Por Sher Ahmad GHAZNI, Afeganistão (Reuters) - O Taliban advertiu os afegãos que a posse de fotos de mulheres que não são parentes e de meninos bonitos contraria a lei islâmica e ter os novos telefones reluzentes vai contra sua dignidade religiosa.

Reuters |

O Taliban vem mandando "cartas noturnas" na volátil província de Ghazni, no sudeste do Afeganistão, para lembrar os afegãos de suas obrigações religiosas e reiterar advertências de que vai tentar prejudicar a crucial eleição presidencial de 20 de agosto.

Em uma carta em que reafirma sua austera interpretação do islamismo, o Taliban preveniu a população, especialmente os jovens, contra o uso de equipamentos de alta tecnologia como telefones celulares com câmeras para fotografar e filmar.

"Pessoas com celulares com câmeras de filmar e fotografar não podem manter no aparelho fotos de mulheres que não sejam parentes e de garotos bonitos, pois isso vai contra a sharia", diz uma carta obtida nesta segunda-feira pela Reuters. A sharia é a lei religiosa islâmica.

"As pessoas deveriam pensar em sua dignidade afegã em vez de comprarem telefones reluzentes", diz a carta.

Celulares também não podem conter "videoclipes imorais", toques com versos do Alcorão ou mensagens depreciativas contra tribos ou pessoas. A carta qualifica essas ofensas como "um crime grave" que seria punido severamente.

As "cartas noturnas" vêm sendo deixadas durante a noite em mesquitas e nas paredes de vilarejos de Ghazni desde sexta-feira.

O Taliban também alertou os moradores de Ghazi para que fiquem em casa a partir do dia anterior à eleição de 20 de agosto, do contrário enfrentarão sérias consequências.

Os ataques do grupo aumentaram em todo o Afeganistão nas últimas semanas e os líderes do Taliban avisaram na semana passada que vão atrapalhar a eleição. Também fizeram um chamado aos eleitores para que boicotem a votação e se unam "às trincheiras da jihad."

Em um distrito de Ghazni as cartas chegaram até a ser distribuídas pessoalmente e traziam o aviso de que as seções eleitorais serão alvo de ataques.

"Para que esse processo ilegítimo fracasse, os combatentes vão intensificar o ataque às seções eleitorais. Nós alertamos os eleitores para que fiquem em casa um dia antes", diz outra carta.

O uso de "cartas noturnas" e ameaças semelhantes é uma tática comum no sul e leste do país, regiões que são há muito tempo redutos do Taliban.

Os ataques no Afeganistão alcançaram este ano seu pior nível desde que forças afegãs comandadas pelos Estados Unidos destituíram o Taliban do poder, em 2001, e aumentaram ainda mais depois que tropas britânicas e norte-americanas lançaram ofensivas na província sulista de Helmand, no mês passado.

A eleição de 20 de agosto será a segunda votação direta desde 2001, mas vai ser realizada em um cenário de crescente violência, apesar de os EUA terem enviado mais tropas ao país este ano, em parte para garantir a segurança do processo eleitoral.

(Reportagem adicional de Hamid Shalizi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG