Talebans começam a se retirar do distrito paquistanês de Buner

Os talebans começaram a se retirar nesta sexta-feira do distrito de Buner (noroeste do Paquistão), que ocupavam há vários dias, anunciou o porta-voz de um chefe religioso que negocia com os combatentes islamitas, Maulana Soofi Mohammad.

AFP |

Os Estados Unidos manifestaram uma forte preocupação pela queda de Buner, a apenas 100 km de Islamabad, nas mãos de islamitas. O Paquistão é um aliado-chave de Washington desde 2001 em sua "guerra contra o terrorismo".

A retirada acontece depois que funcionários governamentais indicaram que acatarão plenamente o controvertido acordo para a aplicação da lei islâmica (sharia) na região de Malakand, que inclui Buner e Swat, ratificado há menos de duas semanas pelo presidente paquistanês Asif Ali Zardari.

Cem paramilitares enviados pelo governo tomaram posição em algumas delegacias de Buner e patrulharam durante três dias antes que os combatentes e as autoridades locais confirmassem o início da retirada.

"Eles estão se retirando de Buner", confirmou, em Peshawar, capital da Província da Fronteira do Noroeste (NWFP), o ministro da Informação do governo provincial, Mian Iftijar Husain.

Residentes locais informaram à AFP que viram combatentes talibãs abandonando algumas áreas. A televisão mostrou imagens de militantes armados com turbantes negros e o tradicional camisolão branco subindo em caminhões.

O presidente paquistanês autorizou o acordo para aplicar a sharia em Malakand, que tem uma população de três milhões de pessoas, como parte dos esforços para pôr fim à cruel insurgência talibã.

O clérigo radical Maulana Fazlulah lançou há dois anos uma violenta campanha para aplicar a sharia no vale de Swat, que incluiu a morte por decapitação de funcionários e a destruição de escolas de meinas e um êxodo de milhares de pessoas.

Leia mais sobre Taleban

    Leia tudo sobre: taleban

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG