Talebans ameaçam Alemanha antes das eleições

A polícia alemã descobriu na internet um vídeo gravado pelos talebans que faz ameaças de atentados na Alemanha caso o governo não retire suas tropas do Afeganistão, informou na noite desta sexta-feira um porta-voz do ministério do Interior.

AFP |

No vídeo, um homem que se identifica como "Ajjub" e fala em alemão declara que "por vosso compromisso aqui contra o Islã, atacar a Alemanha se tornou uma ideia atrativa para nós, os mujahedines", revela o porta-voz.

O militante destaca que é apenas uma questão de tempo "até que a Jihad (guerra santa) destrua os muros alemães".

Locais e eventos famosos aparecem no vídeo, entre eles o Portão de Brandeburgo, em Berlim, a Oktoberfest de Munique e a Catedral de Colônia.

Também aparecem as imagens de alguns políticos, entre eles o ministro do Interior, Wolfgang Schaeuble, e o da Defesa, Franz-Josef Jung.

Segundo um investigador da polícia citado pelo site da revista "Der Spiegel", trata-se da ameaça "mais concreta" contra o país, pela apresentação de locais e de pessoas como alvos potenciais.

Este é o sétimo vídeo divulgado na internet nas últimas duas semanas com ameaças à Alemanha, segundo o ministério do Interior.

Em outra mensagem, difundida horas antes, o chefe da rede terrorista Al-Qaeda, Osama bin Laden, pede aos países europeus que retirem suas tropas do Afeganistão.

No vídeo, de cinco minutos, monitorado pelo centro de vigilância de sites islâmicos SITE, Bin Laden diz que "a justiça exige o fim de vossa opressão e a retirada de vossas tropas" do Afeganistão.

A Al-Qaeda divulgou outras três mensagens esta semana dirigidas à Alemanha, protagonizadas por Abu Talha Al Almania, um alemão de origem marroquina que é conhecido pelos serviços de segurança alemães e se chama na verdade Bekkay Herrech, 32 anos, natural de Bonn.

Nas vésperas das eleições legislativas na Alemanha, o centro de monitoramento de sites islâmicos Intelcenter avalia que "a ameaça de um ataque da Al-Qaeda ou de pessoas vinculadas a ela na Alemanha ou contra interesses alemães no exterior está em um nível elevado".

"A ameaça será elevada antes das eleições de 27 de setembro e continuará sendo depois".

A Alemanha tem cerca de 4.200 soldados na campanha militar do Afeganistão, onde uma coalizão combate a milícia talibã e as forças da Al-Qaeda na região.

Leia mais sobre: Alemanha

    Leia tudo sobre: galeriagaleria do dia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG