Taleban no Paquistão ameaça atacar após morte de Bin Laden

Porta-voz do Movimento Taleban do Paquistão diz que governantes paquistaneses são primeiro alvo. Em seguida, vêm os Estados Unidos

iG São Paulo |

Após a morte de Osama bin Laden no Paquistão, o Taleban no país ameaçou realizar ataques contra líderes de governo paquistanês, incluindo o presidente Asif Ali Zardari, o Exército e os Estados Unidos.

"Agora os governantes paquistaneses e o Exército serão nossos primeiros alvos. A América será nosso segundo alvo", disse à Reuters, por telefone de um local não revelado, Ehsanullah Ehsan, porta-voz do Movimento Taleban do Paquistão.

Morte de Bin Laden

O presidente americano, Barack Obama, anunciou na madrugada desta segunda-feira (horário de Brasília) que forças dos Estados Unidos mataram o fundador e líder da rede Al-Qaeda, Osama bin Laden . Segundo Obama, um pequeno grupo de agentes americanos realizou a operação em um complexo no Paquistão e capturou o corpo do líder da Al-Qaeda.

Bin Laden era o primeiro na lista dos criminosos mais procurados pelas autoridades americanas. As forças americanas tentavam capturar o líder da Al-Qaeda há mais de dez anos, antes dos ataques de 11 de Setembro de 2001, que mataram cerca de 3 mil pessoas no World Trade Center, em Nova York, e no Pentágono, em Washington.

Operação

A operação que matou o líder da rede terrorista Al-Qaeda, Osama bin Laden, neste domingo foi conduzida por uma unidade de elite do Exército americano na cidade de Abbottabad, a 100 quilômetros de Islamabad, no Paquistão. Segundo autoridades dos EUA, Bin Laden foi morto com um tiro na cabeça após resistir à prisão.

De acordo com o governo americano, Bin Laden foi morto em uma mansão cercada por muros de até seis metros de altura, que era oito vezes maior que outras casas na região e foi avaliada em "vários milhões de dólares"

O tamanho e a sofisticação do complexo residencial "chocou" as autoridades americanas. A mansão fica a menos de 1 km da Academia Militar do Paquistão, a principal base militar do país. No local, não havia telefone ou conexão de internet.

A operação teria durado cerca de 40 minutos. A mídia nos Estados Unidos noticiou que o corpo foi "enterrado no mar" para evitar que o túmulo de Osama bin Laden fosse tratado como um local sagrado. Isso teria sido feito em menos de 24 horas depois da morte em respeito à prática islâmica.

* Com Reuters e BBC

    Leia tudo sobre: euaterrorismoafeganistãopaquistãoosama bin laden

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG