Taleban lança ataque com disparos e explosões em Cabul

Embaixada dos EUA e sede da Otan são alvos de ação no centro da capital afegã; há ao menos 12 mortos

iG São Paulo |

Membros milícia islâmica do Taleban dispararam nesta terça-feira granadas propaladas por foguetes e usaram rifles de assalto contra a Embaixada dos Estados Unidos, a sede da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e outros prédios no centro de Cabul, capital do Afeganistão, enquanto homens-bomba atacaram prédios da polícia em uma ofensiva que mostrou a habilidade dos militantes em levar o combate perto do poder Ocidental no Afeganistão.

AFP
Cinegrafistas filmam veículo escolar atingido durante ataque no centro de Cabul

Os assaltos coordenados - acontecendo dois dias depois de os EUA lembrarem o décimo aniversário dos ataques terroristas do 11 de Setembro - deram uma mensagem a líderes ocidentais e seus aliados afegãos sobre a resiliência e alcance da rede taleban.

A embaixada americana e a Otan disseram que seus funcionários não foram feridos no terceiro grande ataque em Cabul desde o fim de junho. A porta-voz da embaixada americana, Kerri Hannan, afirmou que, quando tiros e explosões começaram a ser ouvidos, toda a equipe diplomática recebeu ordens para se proteger.

Em 19 de agosto, homens-bomba atingiram a sede do Conselho Britânico , deixando 12 mortos. O Taleban assumiu a responsabilidade por esse ataque, dizendo que ele marcava o aniversário da independência do país em relação ao Reino Unido em 1919.

Ainda não há um número definitivo de mortos e feridos. Segundo a BBC, os ataques deixaram quatro policiais, dois civis e seis insurgentes mortos, enquanto a AFP e a Associated Press apontam seis insurgentes, três policiais e quatro civis. Em relação aos feridos, a AP aponta 15, enquanto a AFP 19 e a CNN 18.

Segundo a polícia, pelo menos cinco insurgentes coordenam a operação a partir de um prédio em construção a cerca de 300 metros da embaixada americana, de onde teriam disparado foguetes. Soldados americanos ficaram no telhado da missão diplomática respondendo aos ataques, enquanto helicópteros militares sobrevoavam a área.

Um afegão que passava pelo local disse ter ouvido pelo menos cinco explosões perto do prédio da embaixada americana. “Você nunca está preparado para se ver em meio a vítimas, destroços, vidros quebrados espalhados pela rua”, disse Zada.

As autoridades afegãs fecharam as ruas do distrito diplomático e pediram que moradores ficassem longe das janelas. A região abriga vários prédios do governo afegão, incluindo ministérios e o palácio presidencial.

O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, condenou a violência em Cabul, dizendo que era uma maneira de testar o processo de transição da segurança do país (que a Otan entregará para as forças nacionais), mas alertou que essa tentativa dos insurgentes fracassará. “Temos confiança na capacidade das autoridades afegãs de lidar com essa situação. A transição está em curso e continuará”, disse.

Este vem sendo o ano mais violento no Afeganistão desde a invasão americana, em 2001. A situação se agravou em julho, quando a Otan começou um longo processo para transferir o poder de volta às forças afegãs. A maior parte das tropas internacionais devem deixar o país em 2015, quando se espera que as forças afegãs estejam prontas para assumir o controle.

*Com AP, BBC e Reuters

    Leia tudo sobre: afeganistãotalebaneuaotanataquecabulguerra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG