Taleban condena suposto vídeo de soldados americanos urinando em corpos

EUA investigam imagens que mostram quatro militares aparentemente urinando em insurgentes mortos no Afeganistão

iG São Paulo |

Militantes do Taleban condenaram um vídeo que mostra soldados americanos aparentemente urinando em corpos de integrantes da milícia no Afeganistão. O Exército dos Estados Unidos disse estar investigando a autenticidade das imagens.

“Isso não é uma ação humana. É uma barbárie, é algo vergonhoso de se discutir”, disse um porta-voz do Taleban, Qari Yousug Ahmadi, à rede BBC. Outro porta-voz, Zabihullah Mujahid, disse à agência Reuters que o vídeo não vai atrapalhar as negociações de paz do grupo com a comunidade internacional.

As imagens mostram quatro homens em uniformes militares aparentemente urinando em três corpos de homens descalços, um deles coberto de sangue. É possível ouvir a voz de um home dizendo: “Tenha um ótimo dia, amigo”. A origem do vídeo não está clara, nem quem o divulgou na internet. Os homens que aparecem nas imagens parecem estar cientes de que estão sendo filmados.

Assista ao vídeo:

As forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) divulgaram um comunicado dizendo que as ações mostradas no vídeo são “inexplicáveis e não condizem com o alto padrão moral” dos soldados. O comunicado informa que as ações “parecem ter sido realizadas por um grupo de indivíduos americanos que aparentemente já não estão servindo no Afeganistão”.

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, disse que o comportamento mostrado no vídeo é “inaceitável”. “Tais ações não consistem com nossos valores e não são representativos do caráter do Exército americano. Faremos uma investigação completa”, prometeu, em comunicado.

Negociações

Na semana passada, o Taleban anunciou um acordo com o governo do Catar que permitirá a abertura de um escritório político no país.

A medida é considerada um passo importante para um avanço nas negociações de paz entre o grupo afegão e a comunidade internacional, após mais de dez anos de guerra.

De acordo com o porta-voz do Taleban, Zabiullah Mujahid, o escritório, que ainda não tem data para ser aberto, vai conduzir negociações com a comunidade internacional. Segundo ele, o acordo foi possível após um diálogo com o governo do Catar e outras “partes relevantes”. "Temos uma forte presença dentro (do Afeganistão) e agora estamos preparados para ter um escritório político no exterior para negociações", afirmou Mujahid em comunicado.

Para os Estados Unidos e seus aliados, a criação de um escritório político para o Taleban se tornou um elemento central para permitir as negociações com os insurgentes.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e o presidente americano, Barack Obama, concordaram que as tropas de combate estrangeiras no Afeganistão voltem para casa até o fim de 2014.

O Ocidente, no entanto, prometeu apoio para depois dessa data na forma de fundos e treinamento para as forças de segurança afegãs.

O dia 7 de outubro de 2011 marcou os dez anos do início da campanha militar dos EUA no Afeganistão, lançada após os ataques de 11 de setembro de 2011 nos EUA, que ajudou a derrubar o governo linha-dura do Taleban.

O andamento da guerra no Afeganistão tem sido bastante polêmico e ambos os lados alegam ter vencido. A violência se disseminou para as regiões norte e oeste, que já foram pacíficas, e os insurgentes executaram uma série de assassinatos, entre eles o do ex-presidente afegão Buhanuddin Rabbani, mediador de paz do governo com o Taleban.

Com AP, BBC e AFP

    Leia tudo sobre: talebaneuaguerraafeganistãootan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG