Medida é vista como passo importante para um avanço nas negociações de paz, enquanto dia é marcado por violência em Kandahar

O Taleban anunciou nesta terça-feira um acordo com o governo do Catar que permitirá a abertura de um escritório político no país.

A medida é considerada um passo importante para um avanço nas negociações de paz entre o grupo afegão e a comunidade internacional, após mais de dez anos de guerra.

Leia também: Após dez anos da Guerra do Afeganistão, EUA buscam saída honrosa

Apesar das conversas sobre negociações de paz, a violência persiste na cidade afegã de Kandahar, uma das mais violentas do Afeganistão.

De acordo com o porta-voz do Taleban, Zabiullah Mujahid, o escritório, que ainda não tem data para ser aberto, vai conduzir negociações com a comunidade internacional.

Segundo ele, o acordo foi possível após um diálogo com o governo do Catar e outras “partes relevantes”.

"Temos uma forte presença dentro (do Afeganistão) e agora estamos preparados para ter um escritório político no exterior para negociações", afirmou Mujahid em comunicado.

Para os Estados Unidos e seus aliados, a criação de um escritório político para o Taleban se tornou um elemento central para permitir as negociações com os insurgentes.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e o presidente americano, Barack Obama, concordaram que as tropas de combate estrangeiras no Afeganistão voltem para casa até o fim de 2014 . O Ocidente, no entanto, prometeu apoio para depois dessa data na forma de fundos e treinamento para as forças de segurança afegãs.

O dia 7 de outubro de 2011 marcou os dez anos do início da campanha militar dos EUA no Afeganistão, lançada após os ataques de 11 de setembro de 2011 nos EUA, que ajudou a derrubar o governo linha-dura do Taleban.

O andamento da guerra no Afeganistão tem sido bastante polêmico e ambos os lados alegam ter vencido. A violência se disseminou para as regiões norte e oeste, que já foram pacíficas, e os insurgentes executaram uma série de assassinatos, entre eles o do ex-presidente afegão Buhanuddin Rabbani, mediador de paz do governo com o Taleban.

Violência

Apesar de representar um passo importante para o avanço nas negociações de paz, a cidade afegã de Kandahar, no sul do país, teve um dia violento. Três explosões de bombas no mesmo dia deixaram ao menos 12 mortos.

Primeiro, um homem-bomba dirigindo uma motocicleta atingiu uma área próxima de um posto policial, matando civis e policiais, informou o chefe da polícia de Kandahar, Abul Razaq.

Horas depois, duas explosões em minutos atingiram deixaram mais civis e policiais mortos em outra localidade em Kandahar, matando mais civis e policiais. Faisal Ahmad, porta-voz provinciano, disse que uma explosão matou uma criança.

O sul do Afeganistão é um reduto tradicional do Taleban e Kandahar tem sido alvo de ataques violentos,  uma vez que os insurgentes não querem que o governo consiga controlar a cidade.

Em julho, o meio-irmão de Karzai foi morto em sua casa , na cidade. O prefeito também foi assassinado pouco mais de duas semanas depois.

Também no sul, a Otan disse nesta terça-feira que um dos seus membros foi morto por uma bomba. Em comunicado, a organização informou que a morte ocorreu na segunda-feira. Não foram dados detalhes sobre a nacionalidade do soldado e nem onde exatamente a explosão ocorreu.

Um total de 544 soldados da Otan foram mortos no Afeganistão em 2011, o décimo ano da guerra. O número foi considerado menor em comparação com o ano anterior, quando 700 militares morreram. Cerca de 840 soldados e policiais afegãos foram mortos em 2011.

Com AP e AFP
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.