Taiwan investiga ex-presidente por lavagem de dinheiro após pedido da Suíça

Taipé, 15 ago (EFE).- A promotoria do tribunal do Distrito de Taipé (Taiwan) iniciou, a pedido da Suíça, uma investigação sobre suposta lavagem de dinheiro da família do ex-presidente do país asiático Chen Shui-bian, informou hoje o promotor Lin Chin-tsun.

EFE |

As autoridades suíças averiguam uma suposta lavagem de dinheiro por parte da mulher do ex-presidente, Wu Shu-chen, e de seu filho, Chen Chih-chung, declarou Lin à imprensa.

A promotoria enviou um funcionário à Suíça para revisar os depósitos e retiradas da conta de sua mulher no Banco Merill Lynch.

O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores de Taiwan, Henry Chen, confirmou que o escritório taiuanês na Suíça cometeu "uma negligência administrativa" ao atrasar em quase um mês a entrega de uma carta suíça pedindo a colaboração no caso.

O início da investigação coincide com a publicação em um jornal da ilha de um artigo acusando Shui-bian e sua família de acumularem dinheiro no exterior.

A representante do Partido Kuomintang Hung Hsiu-chu disse em entrevista coletiva, na quarta-feira, que a família de Shui-bian enviou milhões de dólares para o exterior.

O ex-presidente reconheceu na quarta-feira, em entrevista coletiva, que sua mulher enviara para o exterior dinheiro de suas campanhas eleitorais, mas assegurou que não estava ligado a nenhum caso de corrupção.

Shui-bian confessou ter mentido nas declarações sobre fundos em suas campanhas de 1993 a 2004, mas afirmou que pensava em destinar os fundos para impulsionar a diplomacia na ilha.

Shui-bian e sua mulher enfrentam julgamento por corrupção e falsificação de documentos em relação a um orçamento presidencial de julho de 2002 a março de 2006, que o ex-presidente assegura ter gasto na diplomacia secreta de Taiwan. EFE flp/fh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG