Taiwan e China iniciam conversações em meio a protestos

Autoridades de Taiwan e da China iniciaram nesta terça-feira a quarta reunião desde que o presidente taiwanês pró-Pequim, Ma ying-jeu, assumiu o poder em maio de 2008, entre crescentes protestos dos opositores pela aproximação da ilha com o regime comunista.

AFP |

Chen Yunlin, diretor da agência semioficial chinesa responsável pelas relações com Taiwan, abriu as conversações na cidade de Taichung, no centro da ilha cuja soberania é reclamada por Pequim.

"Esperamos que esta reunião seja um êxito completo", declarou Chen ao inciar o encontro com o representante taiwanês Chinag Pin-kung.

Oficialmente a meta é obter um acordo de comércio China-Taiwan.

Mas os opositores antichineses preparam mais um dia de protestos, em meio a um rígido esquema de segurança para evitar problemas.

Taiwan, que tem 23 milhões de habitantes, desenvolveu sua democracia desde que se separou da China, ao fim da guerra civil de 1949. No entanto, nos últimos meses os habitantes da ilha se encontram muito divididos a respeito da política de aproximação de Pequim adotada pelo presidente.

Ma Ying-jeu defende o acordo de comércio entre China e Taiwan com a aleagação de que ajudará a criar empregos na ilha, afetada pela recessão.

cty-ph/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG