Taiwan diz que mortes podem passar de 500 após devastador tufão

Taipé, 14 ago (EFE).- O presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou, calcula que mais de 500 pessoas morreram na passagem do tufão Morakot pela ilha, onde mais de 300 habitantes seguem soterrados em uma aldeia e milhares continuam incomunicáveis, segundo informou hoje o canal local TVBS.

EFE |

"No total, Siaolin tem 1.313 moradores e na zona mais atingida vivem 650 pessoas, das quais 607 estão desaparecidas", informou o prefeito do distrito de Kaohsiung, Yang Chiu-hsing.

"Junto à Escola Primária Guang de Siaolin, uma zona totalmente coberta pelo barro, vivem 200 pessoas, mas como era Dia dos Pais, calcula-se que as vítimas soterradas passem de 300", continuou o prefeito.

Em Siaolin, apenas dois de seus 396 edifícios seguem de pé, e os moradores já perderam as esperanças de encontrar vivos os soterrados após o deslizamento em uma montanha vizinha.

O Centro Nacional de Emergências (CNE), ao confirmar que não se sabe o paradeiro de 68 estudantes, parece indicar que entre os 300 soterrados há um bom número de crianças.

Nas aldeias de Taoyuan e Namahsia, também do distrito de Kaohsiung, há cerca de 1.500 pessoas incomunicáveis, ainda a espera de serem resgatadas.

Dois lagos, criados pela obstrução do rio Laonong a partir dos deslizamentos de terra, transbordaram junto à aldeia de Taoyuan sem deixar vítimas, pois os moradores foram alertados a tempo de fugir.

Um armazém com oito toneladas de explosivos foi varrido pelas águas dos lagos, o que agrava o perigo para as equipes de salvamento que buscam corpos nos riachos.

Os isolados em Likuei, na comarca de Sinfa, seguem à espera de ajuda, após informarem por um cartaz que tinham encontrado 39 mortos.

Com a ruptura de uma ponte, as equipes de resgate ainda não conseguiram atravessar as violentas e agora elevadas águas do rio.

No distrito de Chiayi, no sul da ilha, cerca 10.200 pessoas estão incomunicáveis em várias aldeias, assim como na montanha Ali e no município de Taitung (sudeste), onde há outros 16 mil isolados, segundo os Governos locais.

As equipes de resgate evacuaram 2.200 pessoas na quinta-feira, segundo relatórios militares, e continuam seu trabalho contra o relógio para evitar um maior número de vítimas e auxiliar as regiões mais atingidas.

Ainda restam 73 estradas bloqueadas na ilha, como informou o Ministério do Transporte, e 1.282 escolas foram danificadas, segundo o departamento de Educação.

As primeiras cifras apresentadas pelo Conselho de Agricultura apontam que os prejuízos agrícolas passam de US$ 350 milhões.

O "Morakot" causou em Taiwan as maiores inundações e deslizamentos de terra dos últimos 50 anos, com pelo menos 117 mortos e 59 desaparecidos confirmados, segundo números do CNE. EFE flp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG