Taiwan dará US$ 108 para estimular consumo

O primeiro-ministro de Taiwan, Liu Chao-shiuan, anunciou que o governo vai entregar um cupom no valor de 3.600 dólares taiwaneses (equivalente a US$ 108) para cada cidadão com o objetivo de estimular a economia.

BBC Brasil |

Liu disse que o custo total do programa pode chegar a US$ 2,52 bilhões, e o plano pode elevar o PIB (Produto Interno Bruto) de Taiwan em até 0,64% no próximo ano se todos os cupons forem usados até 31 de dezembro de 2009, quando expiram, de acordo com o website noticioso Taiwan News Online.

Taiwan possui quase 23 milhões de habitantes.

O plano original previa um limite máximo de renda para que um cidadão recebesse o benefício, e a concessão seria de apenas um cupom por família, segundo o Taiwan News Online, mas a proposta final não prevê restrições.

"Se nós fizermos pouco demais tarde demais, vamos perder uma grande oportunidade e os resultados serão graves", disse o premiê de Taiwan para justificar a não imposição de limites, segundo o Taiwan News Online.

"Liu disse que indivíduos ricos poderão doar os cupons para a caridade e pleitear deduções de impostos", disse artigo no site noticioso de Taiwan.

O presidente do Conselho para Planejamento Econômico e Desenvolvimento de Taiwan, Chen Tain-jy, afirmou que os consumidores poderão usar os cupons em qualquer empresa que tenha um registro válido para operar. Mas, para tornar o sistema mais prático para os lojistas, quem usar os cupons não poderá pedir troco, disse o artigo.

'Não mata a sede'
O Partido Democrático Progressivo, de oposição, criticou o plano.

"Para os pobres, os cupons serão como um copo de água que não pode matar a sede", disse o parlamentar Tsai Huang-liang, de acordo com Taiwan News Online.

"Alguns empresários proeminentes receberam bem a iniciativa do governo, embora tenham admitido que cupons de consumo não são suficientes para salvar a economia", disse o website noticioso de Taiwan.

Um plano semelhante do governo japonês para dar dinheiro aos cidadãos está sendo revisto depois que muitas pessoas disseram não ter certeza se aceitariam a oferta.

O primeiro-ministro japonês, Taro Aso, havia prometido dar cerca de US$ 100 para cada cidadão - e algum extra para crianças e aposentados - em uma tentativa de estimular a economia do país.

Mas, segundo o correspondente da BBC em Tóquio Duncan Bartlett, uma pesquisa de opinião revelou que mais de 60% da população acredita que o esquema não é necessário.

Muitos dizem que não se dariam o trabalho de ir coletar o dinheiro. No Japão, US$ 100 seriam suficientes para um jantar em um restaurante ou uma semana de suprimentos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG