Taiwan aceita visita de dalai lama apesar da oposição chinesa

Taipé, 27 ago (EFE).- O presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou, aceitou hoje a polêmica visita do dalai lama, líder religioso tibetano, para abençoar as vítimas do tufão Morakot, o pior dos últimos 50 anos na ilha.

EFE |

"Decidimos aceitar a visita do dalai lama para rezar pelas almas dos mortos e abençoar os sobreviventes do tufão", disse Ma à imprensa, consciente de que a decisão incomodará a China.

O dalai lama já havia mostrado no ano passado seu desejo de visitar Taiwan, em uma entrevista a um jornal indiano, mas na ocasião o presidente Ma rejeitou a oferta alegando que o momento não era oportuno.

O gabinete do presidente taiuanês, para minimizar o impacto sobre os laços com Pequim da chegada do dalai lama à ilha, declarou hoje à imprensa que a visita "será meramente religiosa".

"A visita foi permitida como religiosa e humanitária, por isso não deve abalar os laços com Pequim", disse o porta-voz presidencial, Wang Yu-chi.

O convite ao líder tibetano foi feito pelos prefeitos independentistas do sul de Taiwan, região mais afetada pelo tufão "Morakot", que matou 463 pessoas e deixou outras 190 desaparecidas.

O presidente taiuanês está empenhado em reverter as complicadas relações com a China mantidas por seu antecessor, Chen Shui-bian, e desde que chegou ao poder busca distensão e uma aproximação civil e econômica com Pequim. EFE flp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG