Tailândia prende ativista por insultos no Facebook

Militante ligado aos "camisas vermelhas" teria publicado insultos contra a monarquia no site de relacionamentos

iG São Paulo |

Um ativista antigovernamental ligado aos "camisas vermelhas" foi detido na Tailândia acusado de ofender à monarquia pelo Facebook.

Wipas Raksakulthai, de 37 anos, foi detido na última quinta-feira em sua casa na província de Rayong, no nordeste do país, acusado de escrever no mês passado um comentário injurioso contra a Casa Real na rede social.

Raksakulthai negou ter ofendido à família real, mas admitiu pertencer aos "camisas vermelhas", o grupo que ocupa o centro comercial de Bangcoc há semanas e exige a dissolução do Parlamento e eleições antecipadas.

Ele é acusado de fazer críticas à monarquia e ao rei Bhumibol Adulyadej, venerado quase como divindade por grande parte da sociedade tailandesa. O monarca, de 82 anos, está hospitalizado desde setembro por causa de problemas respiratórios.

Desde 2007, as autoridades tailandesas bloquearam mais de 6,2 mil sites por publicar conteúdos ofensivos contra a realeza. O governo acusou vários dirigentes dos "camisas vermelhas", seguidores do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, de planejar a derrocada da monarquia.

A lei de "lesada altivez" castiga com penas de entre três a 15 anos de prisão o delito de injúrias contra a Casa Real.

Crise política

A Tailândia está imersa em uma profunda crise política fruto da luta entre os detratores e seguidores de Shinawatra, deposto no levante de 2006 após governar por quase seis anos.

Exilado e foragido da Justiça tailandesa, o milionário Shinawatra, condenado na Tailândia a dois anos de prisão por corrupção e abuso de poder, dirige e financia os protestos.

Os camisas vermelhas são em sua maioria das zonas rurais do norte e do noroeste do país, as de maior densidade demográfica e reduto dos que apoiam Shinawatra.

    Leia tudo sobre: Tailândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG