Tailândia: premier aceita saída de chanceler, mas descarta renúncia

O primeiro-ministro tailandês, Samak Sundaravej, aceitou nesta quinta-feira a demissão de seu ministro das Relações Exteriores, mas descartou a dissolução do Parlamento ou sua própria renúncia, em meio a uma onda de protestos contra o governo.

AFP |

Tej Bunnag, um antigo conselheiro real e que assumiu há apenas seis semanas, apresentou sua demissão na quarta-feira, alegando problemas de saúde de sua mulher, explicou Samak.

"Na carta de demissão, Tej diz que foi pressionado por vários partidos, o que provocou um colapso (nervoso) em sua mulher, assustada com a presença do marido em um governo atacado", segundo Samak.

"Entendo sua atitude porque ele não é um político, e agradeço sua ajuda no governo".

O premier tailandês descartou a dissolução do Parlamento ou sua própria renúncia, apesar dos protestos contra o governo, que levaram milhares de pessoas a ocupar a sede do Executivo, há mais de uma semana, e provocaram violentos confrontos entre opositores e partidários de Samak.

"Não vou me demitir, nem dissolver o Parlamento. Permaneço para preservar a democracia e proteger a monarquia", garantiu Samak em mensagem ao país.

ask/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG