Tailândia: Opositores continuarão protestando até que Governo renuncie

Bangcoc, 27 nov (EFE).- A opositora Aliança do Povo para a Democracia, que controla a sede do Governo da Tailândia e os dois aeroportos de Bangcoc, afirmou hoje que continuará com seu protesto até que o Governo renuncie.

EFE |

"Qualquer manifestação no mundo causa inevitavelmente um impacto negativo entre a população, mas a Aliança está convencida de que a nação sofrerá mais se mantiver este Governo", declarou o ex-governador de Bangcoc Chamlong Srimuang, um dos líderes do grupo opositor.

Srimuang afirmou aos jornalistas no recinto da sede governamental, que ocupam desde o dia 26 de agosto, que o fechamento dos aeroportos representa um mal menor em comparação ao que acontecerá caso seja permitida a manutenção do primeiro-ministro Somchai Wongsawat.

O governante tailandês confirmou na quarta-feira, em mensagem à nação, que não renunciará, não dissolverá o Parlamento e não convocará eleições parlamentares.

O Gabinete, refugiado na cidade de Chiang Mai, reduto do governante Partido do Poder do Povo (PPP) e onde não há protestos, estudará hoje nesta localidade se declara o estado de exceção em Bangcoc.

Em reunião urgente convocada pelo primeiro-ministro também será analisada a possibilidade de se aplicar a Lei de Segurança Interna e purgar parte do estado maior das Forças Armadas, que se recusa a usar a força com os manifestantes, entre outras medidas.

No meio da crise, o chefe do Exército da Tailândia, general Anupong Paochinda, afirmou na última quarta que não haveria um levante, pois não solucionaria a crise, mas instou o Governo a dissolver o Parlamento e a convocar eleições, apelo que foi rejeitado pelo primeiro-ministro. EFE grc/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG