Autoridades tentam evitar que a capital Bangcoc fique completamente alagada; inundações deixam pelo menos 366 mortos

A Tailândia anunciou cinco dias de feriado nesta terça-feira para dar à população uma chance de escapar das enchentes que cercam a capital Bangcoc. As autoridades também ordenaram a retirada dos moradores de um bairro residencial nos arredores da cidade, depois que um dique foi destruído pelas águas.

Monges budistas improvisam barco para atravessar as ruas da capital Bangcoc
Reuters
Monges budistas improvisam barco para atravessar as ruas da capital Bangcoc

O feriado tailandês começa na quinta-feira e segue até o dia 31 de outubro e vale para Bangcoc e para outras 20 províncias afetadas pelas piores inundações em 50 anos no país.

O governador de Bangcoc, Sukhumbhand Paribatra, assinalou que era improvável que toda a capital fosse inundada e precisou que o maior risco recai sobre sete dos 50 distritos da metrópole. O centro de Bangcoc, cidade com 12 milhões de habitantes, escapou das inundações até agora. As enchentes forçaram o fechamento de áreas industriais nas províncias de Ayutthaya, Nonthaburi e Pathum Thani, vizinhas de Bangcoc, gerando prejuízos de bilhões de dólares, interrompendo cadeias de fornecimento e deixando 650 mil pessoas temporariamente desempregadas.

O governo anunciou um orçamento de 325 bilhões de baht (US$ 10,6 bilhões) na terça-feira para ajudar na reconstrução do país. As enchentes já deixaram pelo menos 366 mortos desde meados de julho e afetaram aproximadamente 2,5 milhões de vidas, com mais de 113 mil vivendo em abrigos temporários e 720 mil necessitando de assistência médica.

Apesar dos esforços das autoridades para evitar a inundação de Bangcoc, níveis recordes de água no rio Chao Phraya, que atravessa a cidade, aumentam os riscos de enchentes no centro da capital tailandesa, especialmente se as fortes chuvas retornarem.

O aeroporto de Don Muang , o segundo maior de Bangcoc, seria fechado temporariamente nesta terça-feira, considerando as dificuldades que passageiros e funcionários terão para chegar ao terminal. A previsão é de que seja reaberto em 1º de novembro.

O principal aeroporto, Suvarnabhumi, não foi afetado por estar em uma área mais alta. No entanto, a Thai Airways International, que opera em Suvarnabhumi, disse que reduziria o número de voos por conta da falta de funcionários.

O centro para a resposta à crise do governo está localizado no distrito de Don Muang, um dos três distritos inundados desde sábado, e a premiê Yingluck Shinawatra disse na terça-feira que o centro deve ser transferido para outro lugar.

O centro deu instruções para que moradores do bairro residencial de Muang Ake, no norte de Bangcoc, se retirem nesta terça-feira, depois que um muro de proteção na província próxima de Pathun Thani foi rompido.

O principal objetivo das autoridades tailandesas é tentar evitar que Bangcoc, responsável por 41% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, seja alagada, como ocorreu com as províncias do planalto central. Segundo previsões do Departamento Meteorológico, pancadas de chuva devem atingir a capital nesta terça e na quarta-feira, depois de três dias de seca.

Com EFE e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.