Tailândia critica acusações de premiê do Camboja

Bangcoc, 25 dez (EFE).- O Governo da Tailândia qualificou hoje de infundada a acusação do primeiro-ministro do Camboja, Hun Sen, de que há um plano para tirá-lo do poder através de um golpe de estado.

EFE |

Em resposta à acusação feita por Hun Sen em discurso na quinta-feira, o vice-premiê tailandês, Suthep Thaugsuban, disse que o Governo do país "nunca cogitou intervir na política cambojana".

Segundo Hun Sen, os planos estão descritos em um documento confidencial tailandês que chegou até suas mãos. O dossiê descreve hipotéticas situações que podem dar motivo à nação para declarar guerra ao Camboja.

"O Ministério de Assuntos Exteriores deve esclarecer o tema, mas asseguro que não é certo", apontou Thaugsuban.

O vice-premiê tailandês explicou que o documento ao qual Hun Sen se refere é do Ministério de Assuntos Exteriores da Tailândia, mas teve o conteúdo manipulado por políticos da oposição para prejudicar as relações bilaterais.

Camboja e Tailândia têm um diálogo marcado pelo receio ao longo da história e prejudicado por confrontos armados. As relações passam por um de seus piores momentos desde que Hun Sen nomeou como assessor de seu Governo o ex-premiê tailandês Thaksin Shinawatra.

A Tailândia realiza esforços internacionais para conseguir a extradição de Shinawatra, declarado fugitivo da Justiça de seu país dois anos depois de ser deposto por um golpe de estado de autoria da cúpula militar. EFE.

cam/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG