Tailândia condena opositora a 18 anos de prisão por ofender rei

Bangcoc, 28 ago (EFE).- Uma ativista da plataforma política do premiê deposto Thaksin Shinawatra foi condenada hoje a 18 anos de prisão por ofender o rei da Tailândia.

EFE |

Um tribunal de Bangcoc condenou Daranee Chanrchoensilapakul, militante da Frente Unida para a Democracia e Contra a Ditadura, por dois crimes de lesa-majestade, geralmente castigados com penas de entre três e 15 anos de prisão.

Charnchoengsilpakul, de 46 anos, foi detida em julho do ano passado após fazer um discurso em que criticou a atuação do rei, Bhumibol Adulyadej, durante o golpe de Estado que tirou Shinawatra do poder, em setembro de 2006.

Em junho deste ano, a Anistia Internacional (AI) pediu ao Governo da Tailândia que permitisse o acesso público ao julgamento contra a ativista, o que, segundo a versão oficial, foi proibido por motivos de "segurança nacional".

O crime de lesa-majestade na Tailândia foi estabelecido para proteger a imagem da Monarquia, mas na realidade costuma ser aplicado como ferramenta política.

Bhumibol Adulyadej, de 81 anos, é visto como um ser quase divino por um amplo setor da sociedade na Tailândia. EFE grc/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG