Tailândia acusa Philip Morris de evadir US$2 bi em impostos

Bangcoc, 3 set (EFE).- A Polícia da Tailândia acusou a empresa tabagista americana Philip Morris de evadir impostos no valor de 69 bilhões de bats (US$2 milhões ou 1,4 bilhões de euros), informaram hoje fontes policiais.

EFE |

O maior fabricante de cigarros do mundo, com marcas como "Marlboro", "Chesterfield" ou "L&M", negou as acusações e assegurou que sua filial tailandesa cumpriu com a legislação nacional e internacional sobre taxas e preços aplicados a seus produtos.

"As alegações do Departamento Especial de Investigação (tailandês) sobre a declaração fiscal de nossos bens não diferem das que apareceram em 2006", as quais foram desestimadas por um tribunal da Tailândia, assinala Philip Morris em comunicado.

O Departamento Especial de Investigação, pertencente a Polícia, afirmou que a companhia americana cometeu fraude fiscal entre 2003 e 2007 e causou perdas valorizadas em US$2 bilhões, apesar de acrescentar que o caso se encontra agora em mãos da Promotoria.

Se a denúncia prospera, o fiscal apresentará o caso nos tribunais.

Segundo a imprensa tailandesa, a Polícia chamou para dar declarações dez executivos tailandeses da Philip Morris e soltou quatro ordens de detenção contra outros tantos diretores que estão no estrangeiro. EFE grc/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG