Bangcoc - Um total de 54 imigrantes ilegais birmaneses morreram asfixiados na Tailândia quando eram transportados amontoados em um caminhão com outros 47 que sobreviveram à viagem organizada por traficantes de pessoas, indicou hoje a Polícia.

A tragédia ocorreu ontem à noite na província de Rayong, no sudoeste do país e limítrofe com Mianmar, onde operam os grupos dedicados ao contrabando de imigrantes, que são destinados a trabalhos legais na agricultura ou construção.

O chefe da delegacia provincial, coronel Kraithong Changtongbaind, indicou à imprensa, que quando os agentes chegaram ao lugar após receber um pedido de ajuda, encontraram mortas 54 pessoas no contêiner do caminhão, de cerca de seis metros de comprimento por dois de largura.

Do total de vítimas mortais, 37 foram mulheres e o resto homens.

O motorista do caminhão, habilitado para transportar peixes, fugiu do local pouco depois que o veículo foi detido por causa dos gritos de socorro dos imigrantes.

Os sobreviventes relataram à Polícia que o motorista do caminhão não ligou o ar condicionado em nenhum momento ao longo do trajeto, de duas horas, que partiu de Victoria Point, localidade pesqueira e habitual ponto de passagem da imigração ilegal.

Segundo o coronel Changtongbaind, os birmaneses estavam sendo levados para a província turística de Phuket, ao sul de Rayong, e onde milhares de birmaneses trabalham em situação ilegal.

Outras 21 pessoas foram depois levadas praticamente inconscientes no hospital geral de Rayong, a província da Tailândia onde se concentra a maior parte da imigração birmanesa.

A Polícia informou que está realizando uma investigação para identificar os membros do grupo de traficantes de pessoas.

Segundo o Ministério do Trabalho, os birmaneses representam a maior parte dos cerca de 540 mil imigrantes que dispõem de permissão oficial para trabalhar na Tailândia, mas calcula-se que mais de um milhão deles são ilegais.

Mianmar, onde uma junta militar controla o poder, é um dos países mais pobres da Ásia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.