Tadic discursará no Conselho de Segurança contra independência do Kosovo

Belgrado, 19 jun (EFE).- O presidente sérvio, Boris Tadic, anunciou hoje, antes de viajar a Nova York para uma sessão do Conselho de Segurança da ONU destinada ao Kosovo, que defenderá a política da Sérvia contra a independência kosovar.

EFE |

Nessa sessão, na próxima sexta-feira, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, deve apresentar um relatório sobre sua intenção de reajustar a missão da ONU no Kosovo (Unmik), a fim de que a missão européia Eulex possa assumir gradualmente mais responsabilidades.

A Sérvia não aceita nenhuma mudança da presença internacional no Kosovo se este não tiver o sinal verde do Conselho de Segurança da ONU, como é o caso da Eulex.

De acordo com o plano europeu, a Eulex substituiria em matéria de Justiça, Polícia e alfândega a missão Unmik, que está no Kosovo desde o fim da guerra, em 1999, de acordo com a resolução 1.244.

"Só o Conselho de Segurança da ONU é competente para reajustar a presença internacional civil, o secretário-geral não pode fazaer isso", disse Tadic hoje à imprensa local.

Tadic se mostrou convencido de que, "antes ou depois", deverá haver novas negociações para uma "solução de compromisso" sobre o estatuto do Kosovo, que a Sérvia vê como sua província e parte inalienável de seu território.

Segundo o presidente, "a independência do Kosovo declarada de forma ilegal não pode se manter nem encontrar seu lugar na vida real".

"A Sérvia continuará sua luta legítima com meios pacíficos e diplomáticos" para preservar sua integridade territorial e a soberania, disse.

O Kosovo, habitado por uma maioria albanesa, proclamou sua independência unilateral em fevereiro e foi reconhecido por mais de 40 países, entre eles os EUA e vários membros da União Européia (UE), mas não por Rússia, China, Espanha, nem a maioria dos Estados-membros da ONU. EFE Sn/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG