Príncipe William, ex-namorada de príncipe Harry e pais do ator Daniel Radcliffe teriam sido alvos do extinto News of the World

Príncipe William na base RAF Valley, em Anglesey, no País de Gales
AFP
Príncipe William na base RAF Valley, em Anglesey, no País de Gales
O extinto tabloide britânico News of the World contratou um detetive particular para seguir e investigar o príncipe William e cerca de 100 personalidades no Reino Unido, revelou nesta terça-feira a rede de televisão BBC.

Leia também: Entenda o escândalo de grampos do tabloide News of the World

Além do príncipe, segundo na linha de sucessão ao trono britânico, o detetive contratado pelo dominical fechado em julho deste ano seguiu a ex-namorada do príncipe Harry, Chelsy Davy, o ex-procurador-geral do Estado Peter Goldsmith e o técnico de futebol José Mourinho.

De acordo com as revelações do ex-policial Dereck Webb, o periódico de Rupert Murdoch lhe pagou durante oito anos para investigar todo tipo de pessoas, desde o ex-jogador Gary Lineker a familiares de celebridades como os pais do ator Daniel Radcliffe, que interpreta Harry Potter no cinema.

Webb declarou à BBC que não está envergonhado de suas ações e que não cometeu ilegalidades em nenhum dos trabalhos que desempenhou para o tabloide. A companhia News International, proprietária do rotativo, se negou nesta terça-feira a comentar o que chamou de "trabalho específico" do detetive.

O News of the World foi fechado em julho depois de revelado que o periódico havia grampeado o telefone de Milly Dowler , uma menina sequestrada e assassinada por um pedófilo. O escândalo mostrou que essas práticas eram frequentes no tabloide por parte de detetives e jornalistas.

Leia também: Grupo de Murdoch fecha acordo milionário com família de vítima de escutas

Ex-executivos do conglomerado de mídia afirmam que o grampo generalizado era do conhecimento de James Murdoch , presidente da subsidiária britânica do grupo de comunicação fundado por seu pai, o News Corp . James, no entanto, nega as afirmações e irá depor mais uma vez a uma comissão parlamentar nessa semana.

Um novo capítulo do escândalo das escutas telefônicas foi aberto nesta segunda-feira, depois que Webb revelou também que o rotativo de Murdoch o contratou para espionar dois dos advogados das vítimas dos grampos a fim de fazê-los abandonar os casos.

Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.