Tabaré Vázquez associa pobreza ao câncer

Genebra, 27 ago (EFE) - O presidente do Uruguai, o oncologista Tabaré Vázquez, que hoje participou da inauguração do 20º Congresso Mundial do Câncer, disse que a situação socioeconômica de uma pessoa é um fator-chave perante a possibilidade de sofrer de câncer. As condições socioeconômicas de uma pessoa incidem sobremaneira no risco de sofrer de câncer e, no caso de ficar doente, em sua possibilidade de sobreviver, afirmou Vázquez em seu discurso no ato inaugural do congresso. Além disso, Tabaré Vázquez insistiu em lembrar que 50% dos casos de câncer no mundo aparecem nos países em desenvolvimento e disse que, segundo os prognósticos, o percentual subirá para 75% até 2020. A pobreza é um fator de risco inegável para o câncer. Nosso desafio é prevenir que a pobreza e a desigualdade não provoquem mais mortes pela falta de controle de doenças, assegurou o presidente do Uruguai.

EFE |

Vázquez lembrou que existem fatores não controláveis que causam câncer e outros modificáveis, entre os quais citou a dependência ao álcool e ao tabaco, a dieta, o estilo de vida inadequado e a obesidade.

"Todos (são) fatores modificáveis, por isso devemos atuar, como cientistas, mas especialmente como governantes", acrescentou.

Da cerimônia de inauguração do 20º Congresso Mundial do Câncer também participaram, em qualidade de oradores, a secretária-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, e o presidente suíço, Pascal Couchepin. EFE mh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG