Sydney (Austrália), 24 set (EFE).- A cidade de Sydney e seus arredores iniciaram hoje um enorme tarefa de limpeza para tirar a espessa camada de pó vermelho deixada ontem pela tempestade de areia que durante horas deu uma cara diferente à maior cidade da Austrália.

Além dos danos causados pela areia, que cobriu carros e ruas e se introduziu no interior de casas e edifícios, o forte vento - superior aos 100 km/h - danificou centenas de árvores e telhados, informou a rádio estatal.

Procedente do deserto do interior do país, o fenômeno começou durante a noite de terça-feira e chegou nas primeiras horas da quarta-feira a Sydney, onde mais de quatro milhões de cidadãos amanheceram sob uma incrível luz vermelha.

A tempestade de areia paralisou a cidade e os especialistas advertem que a economia do país se ressentirá do fato durante as próximas semanas.

"Quando o clima é tal que não é saudável trabalhar ao ar livre, causa grandes inconvenientes" disse Mark Goodsell do Grupo de Indústria da Austrália.

Godsell explicou que o efeito é como fechar um aeroporto, mas em grande escala.

A situação mudou radicalmente e Sydney amanheceu hoje com um sol resplandecente e um ar respirável, mas a seca e o vento continuam presentes no leste da Austrália, alertaram hoje os meteorologistas.

Grande parte da areia trazida pela tempestade avançou em direção ao estado de Queensland e o Mar de Tasmânia, até alcançar à Nova Zelândia.

Queensland, que já sofre vários incêndios florestais, prepara-se para receber a nuvem de pó enquanto seus serviços de bombeiros estão ocupados em apagar os fogos. EFE mg/fk

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.