Swat fica sob suspeita após matar veterano com 70 tiros no Arizona

Com 26 anos e pai de duas crianças, Jose Guerena foi morto em 5 de maio durante operação antidrogas perto de Tucson

iG São Paulo |

nullJose Guerena, um marine (fuzileiro naval) de 26 anos morto em 5 de maio no Arizona, nunca disparou contra uma equipe da Swat que o atingiu com 70 tiros, afirmou nesta sexta-feira a rede americana ABC News.

Pai de duas crianças e veterando da guerra do Iraque, Guerena morreu durante uma batida antidrogas em sua casa, localizado perto de Tucson.

Inicialmente, as autoridades haviam dito que pensavam que Guerena havia disparado contra elas, mas uma investigação revelou que não, informou a ABC News.

Reprodução
Jose Guerena, marine morto no Arizona por equipe da Swat
A equipe da Swat (sigla em inglês para Armas e Táticas Especiais) invadiu a casa de Guerena pensando que era uma de quatro residências associadas a uma operação de tráfico de drogas. Mas nada ilegal foi encontrado durante um busca subsequente no local.

Os cinco membros da equipe da Swat continuam na ativa. Nenhuma acusação penal nem ação disciplinar foram apresentadas.

Guerena, seu irmão e outro homem foram listados como suspeitos em uma complexa investigação de drogas conduzida pelo Departamento do Condado do Xerife de Pima, segundo o jornal Arizona Daily Star.

Mais de 500 páginas de declarações dos oficiais, listas de provas e entrevistas de testemunhas foram divulgadas pelo departamento, assim como um curto vídeo mostrando a equipe da Swat do Condado Regional Pima durante a ação - e abrindo fogo.

O vídeo, de acordo com o Daily Star, mostra os policiais se aproximando da casa de Guerena enquanto as sirenes tocavam. Também os mostra anunciando quem eram antes de pôr a porta abaixo e disparar com suas armas.

    Leia tudo sobre: euaarizonaswatJose Guerenairaque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG