Suu Kyi entra com recurso contra condenação

Bangcoc, 3 set (EFE).- A líder opositora birmanesa e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, recorreu hoje contra a condenação de 18 meses de prisão domiciliar que recebeu em agosto e que a impedirá de participar das eleições parlamentares de 2010.

EFE |

O recurso foi apresentado pelos advogados de Suu Kyi, de 64 anos, em um tribunal de Yangun e nele, entre outros pontos, se refuta a legalidade da acusação, porque aconteceu em aplicação à Constituição de 1974, sendo que uma nova Carta Magna entrou em vigor no país no ano passado.

O porta-voz da Liga Nacional para a Democracia (LND) e um dos advogados de defesa, Nyan Win, insistiu hoje na inocência da opositora birmanesa e culpou o americano John Yettaw pelo incidente que levou à condenação.

Yettaw, um antigo militar que vive nos Estados Unidos, viajou a Mianmar (antiga Birmânia) e entrou na casa de Suu Kyi em maio para avisar que sua vida corria perigo, porque tinha tido uma visão, segundo seu próprio testemunho.

As autoridades acusaram Suu Kyi de ter violado os termos da prisão domiciliar que cumpria desde 2003, e que terminava em 27 de maio, por não ter denunciado a presença do americano.

Dois juízes militares birmaneses sentenciaram Yettaw em agosto a sete anos de trabalhos forçados, mas ele foi extraditado aos Estados Unidos por razões humanitárias em 16 de agosto. EFE grc/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG