Suspenso comandante que presenciou disparo contra palestino algemado

Jerusalém, 29 jul (EFE).- O comandante israelense que presenciou e teria ordenado o disparo a curta distância contra um palestino algemado e com os olhos vendados na Cisjordânia foi suspenso temporariamente do serviço, informaram fontes militares.

EFE |

"O general Gadi Eisenkot, comandante-em-chefe do Comando do Norte, ordenou esta manhã, após uma audiência, a suspensão forçada durante dez dias do tenente-coronel Omri", disse à Agência Efe um porta-voz do Exército israelense.

"O Exército considera que este é um incidente muito sério e que representa um fracasso moral do comandante", acrescentou o porta-voz.

O incidente ocorreu em 7 de julho, quando uma patrulha do Exército israelense deteve o palestino Ashraf abu Rahma durante uma manifestação contra o muro de separação na localidade cisjordaniana de Nilin.

No entanto, os fatos só vieram à tona na semana passada, quando a ONG israelense B'Tselem divulgou imagens de vídeo que mostravam um soldado disparando contra o manifestante uma bala de metal recoberta por borracha, ferindo o palestino no pé e na presença do tenente-coronel Omri, que segurava o detido pelo braço naquele momento.

O Exército abriu imediatamente uma investigação, durante a qual o soldado disse que o tenente-coronel Omri exigiu três vezes que disparasse contra o palestino algemado.

O tenente-coronel, no entanto, disse diante dos investigadores militares que "não ordenou que o soldado abrisse fogo contra o detido, mas só para tomar medidas repressivas, para assustá-lo", segundo o porta-voz militar.

A suspensão temporária poderia não ser a sanção definitiva pelo incidente, já que o Exército "colocou nas mãos dos serviços jurídicos militares todos os documentos para que determinem as medidas a serem tomadas". EFE aca/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG