Suspeitos foram mantidos em canis no Afeganistão

Militares australianos confirmaram que seus soldados no Afeganistão mantiveram quatro militantes suspeitos de pertencer ao Talebã em um canil vazio durante 24 horas. Os homens haviam sido presos em uma operação pelas forças especiais australianas no Afeganistão no fim de abril.

BBC Brasil |

As prisões foram feitas dois dias depois da morte de um comandante australiano nas mãos do Talebã.

A Força de Defesa Australiana alega que os prisioneiros não foram maltratados, mas disse ter encontrado provas do que chamou de "desentendimento cultural" no uso de canis.

Um dos detidos, que foi solto depois, era um homem de 70 anos.

Segundo os militares australianos, canis vazios oferecem mais segurança em uma base militar remota do Afeganistão e foram usados por um dia até que o prisioneiros pudessem ser transferidos para um local com condições para abrigá-los.

Reação muçulmana

Na tradição islâmica, os cães são vistos como sujos e impuros, e muitos muçulmanos tentam evitar contato com eles.

Grupos muçulmanos ficaram chocados em saber que canis estão sendo usados pelas forças estrangeiras, e o Alto Conselho Islâmico disse que a prática viola direitos humanos.

"É chocante que soldados australianos estejam envolvidos de qualquer modo no tratamento desumano de seres humanos - independente de quem eles sejam", disse o presidente da Federação Australiana de Conselhos Islâmicos, Ikebal Patel.

Um inquérito interno absolveu os soldados de acusações de maus tratos.

O ministro da Defesa australiano, Joel Fitzgibbon, defendeu o comportamento dos soldados e disse que não houve violação das Convenções de Genebra.

"Você sabe que nós estamos em guerra no Afeganistão com pessoas que empregariam qualquer tática, inclusive o uso de crianças como escudos e como forma de propaganda, e é uma batalha difícil", afirmou.

"Mas nós nos esforçamos para cumprir as leis internacionais em todas as ocasiões, e eu tenho certeza que os nossos soldados agiram dessa forma", completou.

Fitzgibbon disse ser enganoso descrever o local usado para manter os prisioneiros como um canil.

"Eles foram mantidos em um local descrito para mim como um cercado que, eu tenho certeza, é usado para uma variedade de fins", disse Fitzgibbon à rádio australiana.

"Eu sei que esse cercado é usado em alguns momentos para manter cães, é verdade. Os cães são uma parte importante das nossas operações lá."

Leia mais sobre Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG