Suspeitos de pertencer ao Fatah al-Islam iniciam greve de fome no Líbano

Beirute, 5 ago (EFE) - Pelo menos 300 pessoas presas no Líbano por supostamente pertencer ao grupo radical Fatah al-Islam iniciaram uma greve de fome, em protesto contra o fato de que permanecem na prisão sem serem acusados de crime algum desde o ano passado.

EFE |

Segundo informaram hoje à Agência Efe fontes policiais, 284 presos de Rumieh, a maior prisão do Líbano, iniciaram na segunda-feira uma greve de fome depois que foi novamente adiado o julgamento que estabelecerá se pertencem ou não à organização islâmica Fatah al-Islam.

O julgamento já foi adiado anteriormente e, supostamente, deveria começar nos próximos meses, segundo a imprensa libanesa.

Os presos, de diferentes nacionalidades árabes, poderiam ser condenados à pena de morte se forem acusados de terrorismo.

O Fatah al-Islam protagonizou intensos combates com o Exército libanês entre maio e setembro do ano passado, no campo de refugiados palestinos de Nahr al-Bared, no norte do Líbano. EFE ks/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG