Suspeitos de ligação com possível ameaça contra papa são presos em Londres

Polícia diz que os homens, com idades entre 26 e 50 anos, foram presos sob a lei de terrorismo na região central de Londres

EFE |

Cinco homens foram presos nesta sexta-feira em Londres sob suspeita de ligação com uma possível ameaça contra o papa Bento 16, enquanto a polícia realiza buscas na capital britânica, onde o pontífice está no segundo de quatro dias de visita ao Reino Unido.

Segundo a rede britânica, os suspeitos foram detidos às 02h45 (horário de Brasília) e estão sendo interrogados. A força policial de Londres diz que os homens, com idades entre 26 e 50 anos, foram presos sob a lei de terrorismo na região central de Londres.

A polícia recusou-se a dizer se os homens são britânicos ou a dar detalhes étnicos, mas informou que, a princípio, os suspeitos não teriam planejado um atentado em massa.

As autoridades disseram que informações sobre uma potencial conspiração contra o papa foram recebidas durante a madrugada, desatando a operação para prender os cinco homens na manhã desta sexta-feira. Os homens estão sendo questionados em uma delegacia e não foram acusados formalmente.

Visita do papa

A visita do papa dividiu opiniões na oficialmente protestante e altamente secular Grã-Bretanha. Ele chegou na quinta-feira ao Reino Unido para a primeira visita de Estado de um líder da Igreja Católica. A primeira parada foi Edimburgo, na Escócia, onde se reuniu com a Rainha Elizabeth 2ª.

Após ser recebido por ela, ele rezou uma missa a céu aberto para 70 mil pessoas em Glasgow. Bento 16 deixou a Escócia e viajou para Londres na noite de quinta-feira. Ele foi recebido pelo prefeito Boris Johnson e seguiu para a Nunciatura Apostólica de Wimbledon, onde está hospedado.

Nesta sexta-feira em Londres, ele se encontrou com cerca de 4 mil jovens da St. Mary's University College, no subúrbio londrino de Twickenham, em um evento chamado de Grande Assembleia. A Igreja Católica afirma que o evento é uma oportunidade para homenagear o trabalho de mais de 2 mil escolas católicas na Grã-Bretanha, que recebem apoio do Estado.

Também na sexta-feira, ele vai se encontrar com outros líderes religiosos britânicos, entre eles o arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, que comanda a Igreja Anglicana.

O encontro no palácio de Lambeth, em Londres, tem um simbolismo histórico. Até o rei Henrique 8º romper as relações com o Vaticano no século 16, o palácio abrigava arcebispos católicos. A visita do papa ao local é vista como um gesto de reconciliação entre católicos e anglicanos.

Em seguida, ele fará um discurso em Westminster Hall, para parlamentares britânicos. Acredita-se que o papa fará seu discurso mais político diante dos parlamentares e poderá fazer uma comparação entre os valores católicos e o conceito de "Grande Sociedade", do primeiro-ministro David Cameron.

Uma das políticas sociais de Cameron, chamada de "Grande Sociedade", tem como objetivo fortalecer ações comunitárias, com estímulo a programas de voluntariado. Bento 16 encerra o dia participando de um culto com uma serviço ecumênico na Abadia de Westminster com o arcebispo de Canterbury.

*Com AP, BBC e EFE

    Leia tudo sobre: papagrã-bretanhabento 16terrorismoreino unido

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG