Suspeito do desaparecimento de Madeleine processará meios de comunicação ingleses

Um homem apontado como suspeito no caso do desaparecimento da menina britânica Madeleine McCann vai processar 12 meios de comunicação britânicos, anunciaram seus advogados neste domingo, no que pode ser o maior processo do tipo na história do país.

AFP |

Robert Murat, 34 anos, nega qualquer envolvimento no sumiço de Maddie, que desapareceu de um quarto de hotel na praia portuguesa de Praia da Luz no dia 3 de maio do ano passado, a apenas nove dias de completar quatro anos.

O britânico mora em Portugal, a 100 metros do hotel.

Um comunicado do escritório de advocacia Simons Muirhead and Burton, com sede em Londres, confirma que representa Robert Murat na ação.

O escritório informou ainda que os processados serão o canal de televisão Sky, os jornais Daily Express, Sunday Express, Daily Star, Daily Mail, Daily Mirror, Sunday Mirror, News of the World, The Sun, além do The Scotsman, o Evening Standard e o Metro.

A especialista neste tipo de caso Caroline Kean, da firma Wiggin, afirmou que se a ação de Murat tiver sucesso, ele pode receber uma indenização recorde.

"Você pode imaginar pelo menos 200.000 libras por jornal, por ação, e isto chegaria a dois milhões de libras (quatro milhões de dólares)", declarou ao jornal The Observer.

O maior processo contra a imprensa na Grã-Bretanha resultou em uma indenização de 1,5 milhão de libras.

Murat é alvo da imprensa desde que foi citado pelo Sunday Mirror como suspeito"

Em março, os pais de Maddie, Gerry, 39, e Kate, 40, venceram uma ação do mesmo tipo contra os jornais do grupo Express, que haviam insinuado que eles estariam envolvidos no desaparecimento.

O grupo pagou 550.000 libras em indenização ao fundo criado pelo casal para ajudar nas buscas da filha.

Leia mais sobre: Madeleine McCann

    Leia tudo sobre: desaparecida

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG