Suspeito de morte de brasileira no México retorna aos EUA

Produtor americano é investigado por assassinato de Mônica Burgos em hotel de Cancún

EFE |

© AP
A brasileira Mônica, em foto sem data
O produtor americano Bruce Beresford-Redman, suspeito de ter matado sua mulher, a brasileira Mônica Burgos, em um hotel de Cancún (México) em abril, retornou neste domingo aos Estados Unidos, informou seu advogado, Richard Hirsch.

As autoridades mexicanas haviam solicitado que o produtor permanecesse no México durante as investigações. Mas, segundo informou seu advogado à emissora CNN, Redman "retornou a Los Angeles para ficar com os filhos e para assuntos familiares e pessoais".

Oadvogado da família da brasileira, Alejandro Ledezma, afirmou que provavelmente Redman viajou aos EUA com a ajuda do consulado americano na Península de Yucatán.

Em entrevista à Agência Efe, Ledezma afirmou que o consulado dos EUA deve ter facilitado a saída do suspeito, que havia sido liberado pela polícia "sob reservas de lei" e, portanto, não podia sair do país.

Ledezma explica que a Procuradoria tem o passaporte de Redman retido e o cônsul americano assumiu o compromisso com o procurador para que o produtor não deixasse o México, mas "não o cumpriu". "É evidente que alguém lhe deu permissão para sair do país e para poder entrar nos EUA sem problemas", criticou.

O advogado de Redman disse que seu cliente "foi informado de que não tem a obrigação legal de permanecer no México à espera da investigação sobre a trágica morte de sua esposa, Mônica".

O produtor do popular reality show americano "Survivor" foi detido por um dia depois de o corpo de sua esposa ser encontrado em 8 de abril em um esgoto próximo ao hotel onde o casal estava hospedado em Cancún. O corpo da brasileira Mônica apresentava marcas no pescoço e um forte golpe na cabeça, que  provocou  um traumatismo craniano.

    Leia tudo sobre: brasileiros no exteriorcrimeeuaméxico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG