Segundo policia, o suspeito foi libertado por um grupo de gangues que atacaram o agente que o escoltava durante transferência

O suspeito do ataque contra uma igreja católica na Nigéria realizado durante missa de Natal que estava sob custódia fugiu, informou a polícia do país nesta terça-feira.

Leia também:
- Ataques contra cristãos na Nigéria matam pelo menos 31
- Nigéria declara estado de emergência e fecha fronteiras

Carros destruídos por bomba que explodiu em frente a igreja e causou dezenas de mortes na Nigéria
Reuters
Carros destruídos por bomba que explodiu em frente a igreja e causou dezenas de mortes na Nigéria

Autoridades informaram que Kabiru Sokoto plenejou o atentado que deixou 38 mortos na Igreja Católica Santa Teresa, em Madalla. Sua fuga levanta mais incertezas quanto à habilidade do governo nigeriano de impedir as ações da seita radical conhecida como Boko Haram, que reivindicou responsabilidade pelo ataque.

O porta-voz da polícia Olusola Amore disse em comunicado que um funcionário local ordenou que Sokoto fosse transferido para outra delegacia de polícia em Abaji e que o policial que o escoltava foi atacado por supostos membros de uma gangue que o libertaram.

Comandantes suspenderam o policial local e estão investigando suas ações, assim como as do policial que escoltava Sokoto, informou Amore. Ele não disse se o agente ficou ferido no ataque.

O ataque no Natal teve como alvo fiéis da igreja católica que saíam de uma missa, informaram testemunhas. Esse foi um de vários ataques no mesmo dia que deixaram mais de 40 mortos, atraindo atenção internacional para o Boko Haram.

O Boko Haram, que significa "educação ocidental é um sacrilégio", realizou ataques no nordeste da Nigéria e em sua capital, deixando mais de 500 mortos somente no ano passado, segundo uma contagem feita pela agência Associated Press.

Os ataques do Boko Haram se tornaram muito mais sofisticados com o passar do tempo, incluindo o uso de carros-bomba e suicidas. A facção reivindica a responsabilidade pelo ataque em agosto contra a sede da ONU na Nigéria que matou 25 pessoas e feriu mais de 100.

Saiba mais:
- Ataques a igrejas durante missa de Natal causam mortes na Nigéria
- Papa condena atentados contra igrejas durante o Natal na Nigéria

Em um vídeo divulgado na semana passada , o líder do grupo, Abubakar Shekau, desafiou a autoridade do presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan e prometeu novos ataques em um país cada vez mais dominado por conflitos e dividido pela religião.

Na terça-feira, autoridades culparam o atiradores do Boko Haram pela morte de sete pessoas em três aaques separados. Atiradores mataram dois soldados que distribuiam comida para outros membros do Exército, informou a polícia.

Dois outros foram mortos na segunda-feira quando atiradores invadiram suas casas.

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.