Susan Boyle continua internada e programa é alvo de críticas

O programa de calouros Britains Got Talent e a emissora que o veiculou, a britânica ITV, estão sendo alvo de críticas após a notícia da internação da cantora escocesa Susan Boyle em uma clínica particular de Londres, no domingo.

BBC Brasil |

AP

Jornalistas e paparazzi se aglomeram na entrada da clínica onde Boyle está internada

Boyle, de 48 anos, foi derrotada na final do programa, no sábado, depois de ter ganhado fama mundial ao se apresentar pela primeira vez em abril, e em seguida ter sido vista por dezenas de milhões de pessoas no site YouTube.

A ONG Mencap, principal entidade de apoio a pessoas com dificuldades de aprendizado - problema do qual Boyle sofre desde a infância -, divulgou um comunicado nesta terça-feira dizendo que a cantora deveria ter tido apoio psicológico profissional para lidar com a pressão gerada pela fama repentina.

Espectadores também reclamaram do "Britain's Got Talent" junto à Ofcom, a agência reguladora dos órgãos de comunicação da Grã-Bretanha, o que gerou especulações de que a ITV e a produtora do programa, a TalkbackThames, seriam investigadas sobre o caso.

Mas um porta-voz da Ofcom disse à BBC Brasil que, tendo em vista histórias semelhantes ocorridas no passado, será "muito improvável" que haja uma investigação.

"Se uma pessoa quer participar de um show de talentos, é uma decisão dela, e nós não estamos aqui para dizer se ela deve ou não se inscrever", afirmou o porta-voz. "O que nos interessa é saber se houve ou não uma violação das leis que regulamentam a atividade televisiva."

A ITV disse à BBC Brasil também ter recebido "algumas poucas reclamações" de espectadores depois que a cantora foi internada, mas não quis comentar mais sobre o assunto.

Revisão

Segundo o jornal britânico The Guardian desta terça-feira, a produtora TalkbackThames teria informado que vai rever seus procedimentos em relação a avaliar psicologicamente os candidatos que vierem a participar de novas edições do "Britain's Got Talent".

Até agora, a produção do programa não realizava esta avaliação.
"Não se trata de um 'Big Brother', onde os participantes vão ficar fechados em uma casa durante três meses. No nosso programa, as pessoas se apresentam no máximo quatro vezes e só ficam uma semana em hotéis na fase final", explicou uma porta-voz da produtora ao jornal. "Mas por causa do nível de atenção dado pela mídia e da velocidade com que este caso (o de Susan Boyle) se tornou um fenômeno global, vamos rever nossas políticas."

A TalkbackThames e a empresa Syco, do jurado do programa Simon Cowell, estão pagando pelo tratamento médico de Boyle na clínica The Priory, em Londres. O local é conhecido por receber celebridades dependentes de drogas ou com crises de depressão.

Médicos que estão cuidando da escocesa alegam que ela foi internada com "estafa".  O irmão de Boyle, Gerry, disse ter conversado com ela e afirmou que ela parecia "mais feliz e mais descansada". Ele acredita que a cantora deverá deixar a clínica até o fim desta semana.

Apesar de ter perdido na final para o grupo de dança Diversity, Boyle deveria participar de uma turnê organizada pelo programa em cidades da Grã-Bretanha, durante o verão do hemisfério norte. Há também rumores de que ela gravaria um disco com sucessos dos musicais da Broadway e se apresentaria nos Estados Unidos.

Leia mais sobre: Susan Boyle

    Leia tudo sobre: susan boyle

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG