Supremo libera Sharif para tentar vaga no Parlamento paquistanês

Islamabad, 26 mai (EFE).- A Suprema Corte habilitou hoje o líder da opositora Liga Muçulmana do Paquistão-Nawaz (PML-N, em inglês), o ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif, para tentar uma vaga no Parlamento nacional, como informou a TV local.

EFE |

O Supremo aceitou os recursos apresentados por Sharif e o declarou "elegível" em seu veredicto, que põe fim a meses de polêmica após uma sentença no final de fevereiro que o tinha desqualificado para exercer cargos públicos por ter uma condenação judicial.

Em 31 de março, essa mesma corte tinha deixado a sentença em suspenso à espera de revisar os recursos, pouco após uma série de protestos por todo Paquistão que incluiu militantes da PML-N e que pressionou o Governo.

Centenas de seguidores celebraram a sentença na porta do Supremo, enquanto militantes da legenda depositaram flores na residência do líder da PML-N na cidade de Lahore, no leste do país.

"Trata-se de uma vitória da Justiça e do povo do Paquistão.

Sharif é o líder mais popular do país. É um presente à nação", disse ao canal "Dawn" Javed Hashmi, membro da direção do partido.

A sentença de hoje também considerou "elegível" e ratificou em seu cargo o irmão mais novo de Sharif, Shahbaz, que já tinha recuperado a chefia de Governo na província do Punjab em 31 de março, depois que o Supremo reverteu a decisão de inabilitá-lo.

Após Shahbaz perder o cargo no final de fevereiro e Sharif se inabilitado para tentar ser deputado, a PML-N iniciou em março uma série de protestos contra o Governo.

Os protestos forçaram finalmente o presidente do Paquistão, Asif Alí Zardari, a restaurar o polêmico Iftikhar Chaudhry como chefe do Supremo, cargo do qual foi expulso em novembro de 2007 pelo então presidente, Pervez Musharraf. EFE igb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG