Bogotá, 19 ago (EFE).- A Suprema Corte de Justiça da Colômbia negou hoje a extradição do ex-paramilitar Luis Edgar Medina Flórez, pedida pela Justiça dos Estados Unidos por crimes relacionados ao narcotráfico.

De acordo com o Supremo, os crimes cometidos por ele na Colômbia são mais graves que os do que é acusado nos EUA.

Medina Flórez, conhecido nas Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC) como "Comandante Chaparro", entregou as armas como chefe do Bloco Resistência Tayrona e recorreu aos benefícios da chamada Lei de Justiça e Paz em 2006.

Essa lei contempla benefícios judiciais para os integrantes dos esquadrões de extrema-direita, em troca de confissões ou ações em prol da paz.

O Governo colombiano e as AUC realizaram um processo de paz que permitiu a desmobilização de mais de 31 mil combatentes entre 2003 e 2006. EFE ocm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.