Supremo birmanês estuda apelação contra confinamento de Suu Kyi

Bangcoc, 18 jan (EFE).- A Corte Suprema de Mianmar (antiga Birmânia) examinou hoje o recurso apresentado pela líder opositora Aung San Suu Kyi contra sua condenação de 18 meses de prisão domiciliar, última oportunidade para que saia em liberdade pela via judicial.

EFE |

Na saída da apresentação dos argumentos, Kyi Win, da equipe de advogados da defesa, disse que a lei está do lado de Suu Kyi, de 64 anos, e que esperam que a decisão seja pronunciada nas próximas semanas, antes de um mês.

A Nobel da Paz de 1991 perdeu, até o momento, todos os recursos apresentados contra sua condenação.

Seus advogados argumentam que Suu Kyi foi julgada e condenada com uma legislação contida na Constituição de 1974, que foi revogada pela Carta Magna aprovada em plebiscito em 2008.

Os promotores sustentam que continuam em vigor os artigos referentes à segurança nacional aplicados neste processo.

Em 11 de agosto do ano passado, Suu Kyi foi condenada a três anos de prisão e trabalhos forçados por ter recebido em casa um intruso americano, mas a pena foi comutada por ano e meio de confinamento domiciliar por ordem direta do chefe da Junta Militar, o general Than Shwe.

Suu Kyi passou 14 dos últimos 20 anos sob prisão domiciliar por pedir de maneira pacífica reformas democráticas em seu país. EFE grc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG