CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Supostos narcotraficantes atiraram e mataram dez jovens e crianças no Estado de Durango, no norte do México, em um dos últimos episódios sangrentos da onda de violência dos cartéis de droga, informaram autoridades nesta segunda-feira. A procuradoria de Durango, um dos Estados onde maconha e ópio são cultivados e é passagem para os cartéis que também traficam cocaína para os Estados Unidos, disse que os jovens viajavam em um veículo quando um comando armado ordenou que parassem.

Os jovens não pararam e o comando atirou e lançou artefatos explosivos contra o veículo, provocando a morte deles, disse a procuradoria no comunicado.

O grupo era integrado por três jovens, dois de 19 anos e um de 21 anos, e sete menores entre 8 e 17 anos.

O governo do conservador Felipe Calderón mantém uma guerra frontal contra os cartéis da droga, mas não conseguiu deter a violência, apesar do envio de dezenas de milhares de militares, sobretudo ao norte do país.

Os enfrentamentos dos narcotraficantes entre si e com forças de segurança deixaram cerca de 19 mil mortos desde a posse de Calderón, em dezembro de 2006, e afugentaram o turismo e os investimentos no norte mexicano.

O assassinato múltiplo em Durango aconteceu a sete quilômetros do povoado de Los Naranjos, localizado numa área montanhosa dedicada ao cultivo de drogas, conhecida como Triângulo Dourado, na confluência dos Estados de Durango, Sinaloa e Chihuahua.

(Reportagem de Anahí Rama)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.