Supostos membros da ETA detidos em Portugal comparecem à Justiça

(Acrescenta declarações do advogado dos dois detidos) Lisboa, 11 jan (EFE).- Os dois supostos membros do ETA detidos no sábado em Portugal comparecerão hoje perante o Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa, informaram à Agência Efe fontes da Polícia Judiciária portuguesa.

EFE |

Os dois detidos foram transferidos ontem da Torre de Moncorvo pela Polícia Judiciária e serão interrogados pelas autoridades portuguesas antes de iniciar o processo de extradição para a Espanha.

O advogado dos dois supostos membros da ETA, José Galamba, declarou à Agência Efe que seu objetivo é evitar que Garikoitz García Arrieta e Iratxe Yáñez Ortiz de Barron sejam extraditados à Espanha.

Galamba reconheceu que tem poucas esperanças de que a Justiça portuguesa rejeite a extradição, já que se trata de um assunto com "muita pressão política".

O advogado também confirmou que os dois detidos serão ouvidos hoje no Tribunal Central de Instrução de Lisboa pelo juiz Carlos Alexandre. Embora acredite que a audiência ocorrerá durante a tarde, ele disse que desconhece o horário exato da audiência.

Além disso, Galamba disse que ainda não entrou em contato com os dois detidos, acusados de desobediência às autoridades portuguesas, furto de veículo, posse ilegal de armas e identidade falsa, segundo fontes policiais.

Os supostos membros do ETA entraram em Portugal pela fronteira de Bemposta e percorreram dezenas de quilômetros até a localidade de Torre de Moncorvo, a cerca de 40 quilômetros da fronteira, no sul do distrito de Bragança.

As detenções ocorreram em Portugal depois que uma patrulha da Guarda Civil espanhola, integrada por dois agentes, efetuou na noite de sábado um controle de rotina de veículos na zona urbana de Bermillo de Sayago (Zamora), na estrada CL-527, onde barrou o motorista da caminhonete.

Quando os agentes iam abrir o porta-malas da caminhonete para ver o que havia dentro, o motorista aproveitou para escapar e fugiu com o carro da Guarda Civil em direção a Fermoselle (Zamora), de onde cruzou a fronteira de Bemposta para Portugal, onde foi detido.

Graças à informação das forças de segurança espanholas, as forças portuguesas puderam deter, posteriormente, uma mulher que viajava em um carro que, da mesma forma que a caminhonete, tinha placa francesa. EFE atc/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG